×
Publicado em
1 de jul. de 2016
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Calçado brasileiro começa a ver uma luz no fim do túnel

Publicado em
1 de jul. de 2016

Enfim uma luz no fim do túnel! Foi assim, com essa percepção que se encerrou mais uma edição da Francal, Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios, aquela de número 48, que decorreu no Anhembi, em São Paulo, de 26 a 29 de junho, apontando certo otimismo em relação ao futuro do setor.
 
Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), que ouviu dirigentes e expositores durante o encontro, o que se pôde conferir como grande destaque da feira, que recebeu cerca de 500 expositores e mais de mil importadores de 60 países, foi sem dúvida o retorno da confiança por parte do empresariado.​

A última edição da Francal aponta certo otimismo por parte dos empresários do setor. - Foto: Francal

 
"Acredito que, mais importante do que os negócios realizados, que foram bons para boa parte dos expositores, o aspeto mais relevante da feira foi a retomada do clima de confiança", ponderou o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein.
 
Outro ponto positivo foi a desvalorização do real, que tem levado o calçado verde e amarelo a uma posição mais competitiva no mercado internacional. Nem mesmo o movimento inverso do dólar visto nas últimas semanas foi motivo para grande apreensão, pelo contrário, a expetativa positiva em relação ao futuro próximo do país parecer ter se feito sentir nos corredores do salão de moda.

"A notícia mais positiva que temos é a sinalização do Governo Federal de que a equipe económica está ciente da importância do equilíbrio entre câmbio e Custo Brasil, ou seja, caso o real valorize, será preciso uma compensação com a diminuição do nosso custo de produção através de desoneração tributária e melhorias logísticas", reiterou Klein, explicando a relação entre o câmbio e os custos que sempre entra na pauta de um país com elevada carga tributária.
 
Já para Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal, o horizonte nessa difícil relação preço, custo e câmbio pode melhorar num futuro próximo, "Embora tímidas, as exportações de calçados já começaram a dar resposta ao dólar, crescendo quase 2% nos cinco primeiros meses. Acredito que o segundo semestre será ainda melhor, pois somos um país conhecido mundialmente pelas coleções de verão, as que foram comercializadas na feira", comenta o dirigente.
 
Por fim, entre os expositores ouvidos pela associação setorial, a avaliação do encontro foi razoavelmente positiva. Para Cícero Castro, gerente de exportações da calçadista Toni Salloum, a feira foi uma boa oportunidade, na qual a empresa conseguiu novos clientes internacionais, "Nesta feira, por estar menor do que as edições anteriores, tivemos mais tempo de explicar os detalhes dos nossos produtos para os compradores, o que ajudou nos negócios".
 
A próxima edição da Francal já está com data definida. O encontro decorrerá entre os dias 2 e 5 de julho de 2017, agora no Expo Center Norte, ainda em São Paulo.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.