×
Por
Reuters
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
10 de nov. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Capri Holdings fundada por Michael Kors corta previsões de férias à medida que China recupera

Por
Reuters
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
10 de nov. de 2022

A Capri Holdings Ltd. – fundada pelo designer de moda americano Michael Kors em 1981 – baixou na quarta-feira (9 de outubro) as suas previsões de vendas e lucros para o período de férias, culpando uma lenta recuperação da procura na China devido às persistentes limitações do COVID-19 e à incerteza em torno da economia global.


Michael Kors - primavera-verão 2023 - Womenswear - Nova Iorque - © PixelFormula


As empresas de bens de luxo conseguiram repercutir custos mais elevados nos compradores abastados, mas a China continua a ser um ponto nevrálgico, uma vez que as restrições comerciais e de movimento esporádicas devido à política "dynamic zero-Covid" de Pequim impedem os consumidores de regressarem às lojas de alta moda.

"(Covid curbs) têm causado muitas dificuldades... pensamos que vai levar tempo para (a China) recuperar para nós", disse John Idol, diretor executivo da Capri.

As receitas do segundo trimestre da China Continental caíram em percentagem de "high teens", e o negócio no país piorou no último mês devido a um maior abrandamento do tráfego das lojas, acrescentou Idol.

A Capri, que também é proprietária da Versace e Jimmy Choo, não revelou as suas receitas totais da China, mas a região é tipicamente o terceiro maior mercado para empresas de luxo, atrás dos Estados Unidos e da Europa.

A Gucci da Kering e o fabricante de parka Canada Goose também viram as suas vendas na China a tornarem-se um sucesso nos últimos meses.

Idol disse que a procura de produtos Michael Kors também estava a abrandar nos retalhistas grossistas dos EUA.

Etiquetas de luxo "acessíveis", como a de Michael Kors, sentiram provavelmente a pitada de um abrandamento da procura induzido pela inflação antes de mais marcas premium como a Versace, frisou Jessica Ramirez, analista da Jane Hali and Associates.

A Capri reduziu a sua previsão de vendas do trimestre de férias para 1,53 mil milhões de dólares, de 1,65 mil milhões de dólares, e baixou as suas perspetivas de lucro para 2,20 dólares por ação, de 2,45 dólares por ação.

As ações da maison da moda, no entanto, subiram cerca de 2% à medida que ultrapassou as estimativas de ganhos e anunciou um novo programa de recompra de mil milhões de dólares por ação.
 

© Thomson Reuters 2023 Todos os direitos reservados.