Carven: decisão do tribunal está prevista para 12 de outubro e um grupo chinês é considerado o favorito

Teria a Carven encontrado o seu salvador? A maison parisiense pode ser adquirida nos próximos dias pelo grupo chinês Icicle. À beira da falência, a marca recebeu oito ofertas de compra total ou parcial perante o Tribunal do Comércio, que dará a sua sentença no dia 12 de outubro. No entanto, parece que um dos candidatos se tornou o favorito após a audiência realizada em 4 de outubro: o grupo chinês Icicle.


Coleção primavera-verão 2018 da marca - Icicle

Todas as opiniões são de fato favoráveis ​​à oferta de recuperação formulada pela marca chinesa fundada em 1997, posicionada no setor de moda feminina e masculina high-end e eco-responsável. A proposta do grupo asiático contempla a aquisição total da Carven, sua estrutura e funcionários, algo que não foi mencionado em nenhuma das outras sete ofertas apresentadas. E especialmente a um preço muito mais alto.

Os cerca de cem funcionários da Carven devem, portanto, se o tribunal formalizar a aquisição em 12 de outubro, participar do relançamento da marca fundada em Paris em 1945 por Marie-Louise Carven.

A Icicle já possui uma subsidiária na França desde 2013, com 28 funcionários que trabalham na divulgação da marca de luxo no mercado. O espaço também funciona como um "centro de design", fazendo com que estilistas e artesãos trabalhem no design de suas coleções, que usam apenas materiais naturais.

As outras sete ofertas apresentadas para a aquisição da Carven foram feitas por diferentes players do setor têxtil, como Axara, Lee Cooper (que entrou no último minuto), Cashtex, um outlet, Philippe Métivier, Market Maker e Red Luxury (somente para as jóias). Mas estas foram apenas propostas parciais, interessadas no nome da marca ou em apenas parte de sua atividade.

A Carven foi comprada pelo distribuidor de moda de Hong Kong, Bluebell, em 2016, de Henri Sebaoun, o homem que trabalhou no relançamento da marca desde 2008, confiando a direção artística a Guillaume Henry. Hoje, e até novo aviso, ela está sob a responsabilidade de Serge Ruffieux. A administração geral estava nas mãos de Sophie de Rougemont, filha dos proprietários do grupo Bluebell.
 
O grupo Icicle tem um faturamento de 300 milhões de euros e emprega mais de 2.000 funcionários na China. Sua oferta feminina, masculina, infantil e de acessórios é distribuída por meio de 250 lojas. A subsidiária de Paris é dirigida por Tao Xiao Ma.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER