×
275
Fashion Jobs
ADIDAS
Financial Controller & Reporting Senior Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
IT Service Desk Specialist
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
JD SPORT
Demand Planner Retail
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Iberia HR Business Partner
Efetivo - CLT · Madrid
ADIDAS
HR Controlling & Data Analytics Senior Specialist (m/ f
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Manager - Project Management & Strategy
Efetivo - CLT · Porto
 GRUPO CONSTANT SERVIÇOS EMPRESARIAIS, LDA.
Area Manager - Retalho/Moda (m/f) - Lisboa
Efetivo - CLT · Lisboa
ADIDAS
Sales Associate Centro Comercial Norteshopping
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
IT Sap Specialist fi/co e HR
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Gbs Senior Buying Specialist (m/ f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
General Ledger Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
CONFIDENCIAL
Modelista
Efetivo - CLT · ARCOS DE VALDEVEZ
GRUPO PIKOLINOS
Vendedor
Trabalho temporário · LISBOA
H&M
Print Design Assistant - h&m Home
Efetivo - CLT · Estocolmo
LION OF PORCHES
Editor de Imagem/Vídeo (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
LION OF PORCHES
Editor de Imagem (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
BIMBA Y LOLA
Vendedores - Coimbra
Trainee · COÍMBRA
ZILIAN
Sales Assistant
Efetivo - CLT · LISBOA
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- Guimarães Shopping (m, f)
Efetivo - CLT · Guimarães
SOPHIA KAH
Comercial
Efetivo - CLT · FELGUEIRAS
BOTTEGA VENETA
Sales Assistant
Trabalho temporário · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 30h - CDD 6 Meses - Eci Lisboa H/F
Trainee · LISBONNE

Celine: New Wave e new order na Place de la Concorde

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 21 de jan de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Hedi Slimane apresentou o destaque desta semana da moda masculina parisiense com uma poderosa coleção que abre um novo capítulo para o designer, desta vez inspirado pela vida agitada de Londres.


Celine


Ao longo da sua carreira, Hedi Slimane fez referência aos exílios culturais que impôs a si mesmo. Primeiro na Dior Homme, onde as suas longas estadias em Berlim iluminaram o seu trabalho com toques techno em silhuetas mais expressionistas. E, mais tarde, na Saint Laurent, onde a sua residência em Los Angeles conduziu a uma renovação completa, com tendência hippie chic, inspirada na costa oeste dos Estados Unidos. A última etapa deste périplo: uma imersão na capital britânica, cujas influências se refletiram em toda a atual coleção.
 
"Fui a Londres em maio passado pela primeira vez quando percebi que estava a perder toda a criatividade que borbulha na cidade. Eu estava ao corrente de algumas coisas, mas isso abriu-me realmente os olhos e comecei a tirar fotografias. Acabei por ficar por lá por alguns meses", explica Hedi Slimane no backstage do seu desfile.

À primeira vista, o designer parisiense inspirou-se em todo o movimento New Wave do final dos anos 1970, mas sem renunciar ao seu próprio universo. Assim como havia reinterpretado o estilo da contra-cultura californiana na YSL, traduzindo-a numa nova atitude rock'n'roll, na noite de domingo foi a New Wave que apresentou através da sua visão: volumes évasés, uma silhueta modernizada e deslumbrantes acabamentos metálicos nos tecidos.
 
Após o desfile, como esperado, os críticos invadiram a internet, vociferando que Hedi Slimane continuasse a fazer de Hedi Slimane. Aqueles de nós que realmente viveram as eras New Wave e No Wave e que tiveram oportunidade de entrar no CBGB ou no Mudd Club no seu apogeu saberão que se trata de um disparate árido.

Calças truncadas, largas e viradas para cimas, casacos de motoqueiro com tachas e munidos de cotovelos articulados, casacos com estampados de animais listrados, perfectos alta costura costurados como uma sela de cavalo, um vestido maravilhoso desenhado para um dandy dissoluto: todo o guarda-roupa masculino foi revisto por Hedi Slimane. E complementado com um toque contemporâneo, sem esquecer o acabamento comercial que o designer consegue sempre dar às suas coleções, seja qual for a casa para a qual desenha.


Celine


O convite, em forma de livro, não incluía fotografia, mas motivos gráficos a preto e branco.

É preciso admitir que nenhum criador utiliza a luz e a escuridão com tanto domínio quanto Hedi Slimane. O designer construiu uma caixa preta no lado este da Place de la Concorde, cercada por barreiras de cimento pretas. Num dos lados da caixa, uma enorme janela: os modelos tinham, portanto, como pano de fundo a avenida dos Champs-Élysées, toda iluminada. O desfile foi iniciado pelo aparecimento de uma escultura de luz, uma bola gigantesca feita de luzes de néon, a flutuar lentamente por cima da passarela, e terminou com um solo de saxofone apaixonado por James Chance. O autor destas linhas tem visto ressurgir os dias felizes da sua juventude, quando pôde assistir a um concerto desta lenda da No Wave, acompanhado pelo seu grupo de jazz, The Contortions, no Danceteria.

"Eu queria capturar o que está a acontecer hoje em dia na música e como ela evolui. Foi por isso que pedi a James Chance para vir tocar", disse Hedi Slimane, particularmente relaxado após o desfile. Ao contrário de James Chance, famoso pelo hábito feio que tinha de atacar o público no final dos seus espetáculos. Quando deixou a passarela após o seu solo, o saxofonista ainda fumegava.
 
"Não entre docemente nessa noite escura, a velhice deve trovejar e rugir quando o dia cai", escreveu em tempos o poeta Dylan Thomas. Aparentemente, não há risco de isso acontecer com Hedi Slimane ou James Chance.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.