×
Por
Jornal T
Publicado em
7 de jan de 2020
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Contrafação custa 653 milhões de euros por ano ao vestuário

Por
Jornal T
Publicado em
7 de jan de 2020

As perdas de vendas devido a contrafação e pirataria no setor do vestuário, calçado e acessórios rondam em Portugal os 653 milhões de euros por ano. Os números, divulgados na quinta-feira pelo Jornal de Notícias, são fornecidos pelo Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO).



O relatório que analisa os efeito da contrafação e da pirataria calcula um impacto negativo global de 1.100 milhões de euros por ano para o conjunto da economia e para o Estado português. Contas feitas, este é um universo ilegal que representa 9,5% das vendas de 11 setores fundamentais do mercado nacional e que é responsável por uma perda direta de mais de 22 mil empregos só em Portugal.

No topo da lista dos setores mais afetados está o vestuário, calçado e acessórios, onde a contrafação e pirataria representam, de acordo com o estudo do organismo da União Europeia, 14% das vendas globais.

Mas, estes efeitos negativos não se ficam pelas fronteira nacionais, em toda a UE perderam-se perto de 28,4 mil euros só no setor do vestuário, calçado e acessórios à custa da contrafação e pirataria, o que representa 9,7% do total da faturação deste setor.

O relatório da EUIPO destaca ainda o impacto deste mercado paralelo nos cosméticos, medicamentos, vinhos e bebidas espirituosas e no universo dos smartphones, alertando ainda para os graves riscos para a segurança e saúde dos utilizadores dos produtos contrafeitos.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.