×
350
Fashion Jobs
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
24 de fev de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Coty: vários candidatos dispostos a adquirir divisão "profissional"

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
24 de fev de 2020

Para reduzir a sua dívida e simplificar a sua estrutura, a americana Coty indicou em outubro passado que planeava vender a sua divisão profissional, incluindo marcas capilares e de unhas como Wella, O.P.I ou Sally Hansen. "Isso aliviaria o nosso balanço e melhoraria a nossa capacidade de investir em áreas com maior potencial de crescimento", explicava então Pierre Laubies, diretor-geral do grupo americano de cosméticos.


Produto Wella


Segundo a Bloomberg, esta opção parece ganhar forma, uma vez que os fundos Advent International (que investiu nomeadamente na Lululemon ou Gérard Darel), Bain Capital (Canada Goose, Maesa...) e Cinven estarão a preparar ofertas públicas de aquisição. Estes não serão os únicos interessados, e Henkel, Clayton Dubilier & Rice e a holandesa Unilever (que também iniciou uma revisão ao seu ramo de cosméticos) também fariam parte do grupo. Segundo a agência de notícias, o valor da transação poderia roçar os 8 mil milhões de dólares (7,4 mil milhões de euros).

No segundo trimestre do seu exercício de 2019/20, que cobre o período de setembro a dezembro, a perfumista americana registou um volume de negócios de 2,34 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), uma queda de 6, 6% E, se durante a primeira metade do seu exercício, a Coty reduziu as suas perdas, o grupo, que conta no seu portefólio com marcas de beleza como Burberry, Gucci, Tiffany ou Hugo Boss, ainda enfrenta dificuldades para integrar as 43 marcas de cosméticos adquiridas em 2015 à Procter & Gamble por um valor de 12,5 mil milhões de dólares.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.