Craig Green no Pitti: cena de crime num jardim da Toscana

Pitti Uomo - Espírito Rashomon em Craig Green, que nos lembra que a verdade é relativa e que as pessoas podem manter uma memória radicalmente diferente do mesmo incidente. Especialmente quando se trata de um crime.


Ver o desfile
Craig Green - primavera-verão 2019 - Moda masculina - Florença - © PixelFormula

É o designer conceptual de moda masculina que reina em Londres há alguns anos. Na Grã-Bretanha, apresenta frequentemente as suas coleções sob os arcos de tijolos molhados e frios de uma linha ferroviária ao sul de Londres. Em Itália, na noite de quinta-feira (14), levou o seu público ao mais famoso parque da Toscana: o Jardim de Boboli, em Florença. "Eu queria pegar numa localização florentina bonita e conhecida e dar-lhe este lado mais sombrio. Como uma cena de crime, na verdade", disse Craig Green, sorrindo, após o desfile.

Craig Verde abriu o desfile com o que chamou de "anjos modernos”, modelos vestidos em roupas de cirurgião adornadas com cordas de escalada e gravatas. Depois, ligou quadros de madeira a muitos desses funcionários de hospital, como halos surreais ou silhuetas. "Eu estava a pensar na forma como a polícia desenha o contorno de cadáveres com giz depois de um homicídio não resolvido", brincou Green.

Enquanto a maioria dos edifícios mais bonitos de Florença são conhecidos pela sua perfeita simetria, o jardim de Boboli é particularmente cru e natural. Esta foi a primeira vez que um designer apresentou as suas criações no local desde a reforma de dois milhões de euros realizada pela Gucci.

Há um ano, em Londres, Craig Green propôs enormes túnicas de algodão de fio duplo, costuradas como espartilhos do século XVIII e com estampados florais abstratos num espetáculo xamânico e paradisíaco. Em junho de 2016, apresentou um grupo de nómadas dos Himalaias em casacos acolchoados e capas, complementadas com capuz de esqui; e um quarteto de andarilhos de estilo nepalês em casacos Mao matelassé e calças cortadas na altura da coxa. Green  intitulou esta coleção de "uncharted pilgrimage”(peregrinação a terras desconhecidas).

Mas, em Boboli, apresentou conjuntos plissados ​​com silhuetas gráficas. O seu finale foi fenomenal: caftans funky de três estampados que serão itens obrigatórios para os fashionistas e que vão, com certeza, inspirar cópias. O desfile também revelou a mais recente parceria de Green: uma série de cinco pares de sapatilhas e looks em tecido técnico - tops entrelaçados quase como algas - feitos em colaboração com a Nike.


Ver o desfile
Craig Green - primavera-verão 2019 - Moda masculina - Florença - © PixelFormula

Apresentar-se no Pitti é um momento decisivo na carreira de qualquer jovem designer. Além das suas ideias para passarela que incorporam a mais pura vanguarda de Londres, Craig Green também produziu uma coleção de peças mais práticas para o dia a dia, que atualmente representam 75% da renda da sua marca. Depois de Florença, Craig Green irá para Paris, onde administra pessoalmente as vendas do seu showroom francês.

Green também esteve ocupado em Milão. Em fevereiro, foi um dos sete designers escolhidos para trabalhar no projeto Moncler Genius Building e, em setembro, irá revelar a sua segunda série de ideias para o projeto. Além disso, também desenvolveu uma linha de sapatos com o especialista britânico Grenson, que consiste em modelos com solas com moldes de soldados de brincar. Craig também se aventurou no cinema e criou o figurino do filme "Alien: Covenant", de Ridley Scott, lançado no ano passado. O figurino foi inspirado nos pullovers torcidos e calções boxer funky da sua coleção de 2015.

Nascido em Londres, Craig Green era visto como promissor desde cedo: ganhou o prémio British Fashion Men's Wear Award em 2016, quatro anos depois de se formar na Central Saint Martins, e também foi finalista do prémio LVMH. Atualmente, a sua roupa é vendida em todo o lado, da Barneys e da Bergdorf Goodman, em Nova Iorque, ao Dover Street Market, passando pelas Galeries Lafayette e Mr. Porter.

Ao contrário de muitos jovens designers convidados a apresentar o seu trabalho em Florença, Craig Green não deu a antevisão tradicional da sua coleção aos críticos da imprensa italiana. De facto, as suas ideias parecem evoluir até ao último minuto antes dos seus desfiles.

Ideias que já foram incorporadas nas exposições "China: Through the Looking Glass" (China: Através do Espelho) e "Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic imagination” (Corpos Celestes: Moda e o Imaginário Católico), do Metropolitan Museum of Art. As peças apresentadas no Pitti também acabarão em museus um dia. Em suma, uma moda distorcida triunfa em Florença por um artista londrino muito admirado.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - DiversosLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER