×

Cuba lança a sua primeira loja online focada no consumidor local

Publicado em
today 22 de fev de 2018
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Concebida como uma montra para os fabricantes da ilha, Bulevar Cubano é a primeira loja online dedicada ao consumidor local, e oferece produtos e serviços desenvolvidos por empreendedores, como t-shirts, joias, bolsas de couro e sabonetes artesanais.



Yunier Soler, Yoslandy Lopez e Gerardo Rodríguez são os três jovens cubanos por trás desta iniciativa pioneira na ilha, onde a internet começou a expandir-se apenas em 2015, mas já conta com 4,5 milhões de utilizadores numa população de mais de 11 milhões de pessoas.

Em dois anos e meio, Cuba passou de um país praticamente desconectado para um com mais de 500 zonas públicas de Wi-Fi - a um dólar à hora - onde são feitas em média 250.000 conexões por dia, levando a Internet a várias casas, e planeando disponibilizar uma conexão móvel ainda este ano. "Bulevar Cubano pretende operar como uma loja online baseada na realidade cubana, onde a maioria das pessoas não têm como fazer pagamentos online", disse Rodriguez, de 31 anos, à agência de notícias, Efe.

Devido ao embargo que os Estados Unidos mantêm sobre a ilha, o pagamento online, através de cartões bancários ou sistemas como o PayPal, é proibido em Cuba, pelo que a Bulevar Cubano permite reservar os produtos no site e o pagamento é feito em dinheiro no momento da entrega em casa.

"Basicamente, é um novo canal de vendas para empresários que produzem algum tipo de fabrico cubano. (...) É outro exemplo de como o setor privado está a tentar cobrir serviços que são comuns noutros países e que aqui mal existem", ressaltou Rodríguez.

Embora esta não seja a primeira plataforma online cubana, as demais têm sido orientadas para vendas no mercado internacional. A Bulevar Cubano pretende oferecer a todos os cubanos a opção de comprar independentemente "de terem ou não cartões de crédito ou família no estrangeiro".

Na ilha não há lojas online com alcance global como Amazon, eBay, Alibaba, Asos ou Zalando, uma vez que você é possível, e Cuba não consta na lista de países para onde os pedidos podem ser enviados.

De acordo com os seus criadores, outra vantagem da Bulevar Cubano é possibilitar aos empreendedores a expansão do alcance da sua atividade, ao permitir que vendam gratuitamente os seus produtos e serviços na loja virtual, sem a necessidade de investir num site próprio.

Desde que o presidente Raul Castro abriu espaço ao setor privado, em 2010, Cuba já conta com mais de meio milhão de trabalhadores autónomos, que promoveram negócios e profissões inovadores na ilha, como designer de roupas e acessórios, lojas de decoração e artesanato, desenvolvedor web ou organizador de eventos.

É o caso da cubana Sandra Borges que, em setembro passado, lançou a sua marca SBorges Design com as suas próprias criações de joias e carteiras feitas com prata, pedras semipreciosas ou elementos naturais como chifres, ossos e couro.

Sandra Borges, que começou o seu negócio como um hobby, é uma das quatro primeiras empresas que embarcaram na Bulevar Cubano para vender as suas criações, por ser uma "idia magnífica”, que oferece aos empreendedores uma "ótima oportunidade para trazer visibilidade ao seu trabalho".

"É tudo muito recente, a Bulevar Cubano está apenas a nascer e ainda somos poucos na plataforma; embora eu acredite que vá crescer muito, somos apenas a semente", disse ela.

Segundo Sandra Borges, se a plataforma prosperar e a ilha continuar a sua abertura ao mundo digital, que começou há dois anos, "talvez um dia seja possível ter um site de vendas como os do restante do mundo”.

© EFE 2019. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.