Desigual reduz faturação em 14,5% no primeiro semestre

A empresa espanhola, pertencente ao fundo Eurazeo, encerrou o primeiro semestre do ano com um volume de negócios de 323 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 14,5% em relação ao mesmo período de 2017.


Coleção Miranda Makaroff x Desigual - Desigual

Segundo a Desigual, estes resultados "devem-se às vendas moderadas”, uma tendência já registada no ano passado, bem como ao lançamento de uma nova estratégia que envolve uma revisão do produto, uma nova imagem de marca e uma otimização dos seus pontos de venda.

A marca fundada pelo empresário suíço Thomas Meyer explicou que os resultados se devem às consequências do plano de transformação e reestruturação que a empresa começou há três anos e deve terminar em 2020, e que implica a reorganização da rede de distribuição. Neste contexto, a Desigual ajustou de forma progressiva a quantidade de lojas, fechando 50 e passando de 552, em 2015, para 500, no final do primeiro semestre de 2018.

Entre os seus objetivos, a empresa pretende continuar a promover o canal digital para oferecer uma experiência fluída e omnicanal, em linha com o lançamento das suas últimas coleções cápsula com a Christian Lacroix, disponível durante apenas alguns dias na sua loja online. Em termos de mercados, a expansão na América Latina é uma prioridade, após os "dados positivos" que a empresa espanhola afirmou ter registado.

Fundada em Barcelona em 1984, a Desigual tem atualmente presença em 100 países através de 13 canais de vendas, além de oito categorias de produtos (woman, man, kids, acessórios, calçados, living, sport e beleza). A empresa, que pertence à Eurazeo, com 7,4% do capital desde 2014, não cessou de contrair as suas vendas desde a chegada do fundo francês aos seus acionistas.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER