×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
28 de fev. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Dior vai financiar restauração do Jardin des Tuileries, em Paris

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
28 de fev. de 2020

Depois de realizar o seu desfile numa caixa amarela de 1.000 metros quadrados plantada no coração do Jardin des Tuileries, em Paris, a maison Dior confirma a sua relação especial com o local. A empresa acaba de anunciar a assinatura de uma parceria de cinco anos com o Museu do Louvre com o objetivo de embelezar este espaço verde histórico (o Louvre é o responsável pela administração dos jardins, ao contrário de outros parques parisienses).


Desfile da Dior em setembro de 2019 em colaboração com o Atelier Coloco, composto por árvores reais que foram replantadas Dior


Património parisiense listado como Património Mundial pela UNESCO, o Jardin des Tuileries, fundado em 1564 sob Catarina de Médici, redesenhado por André Le Nôtre, será objeto de um programa de restauração programada para começar em abril.

A Dior anunciou que deseja financiar vários projetos de grande escala "para redescobrir e perpetuar o esplendor e a riqueza histórica deste lugar único, frequentado anualmente por 14 milhões de visitantes". O projeto começará com a reabertura do bosque localizado no nordeste, "um espaço povoado por 116 árvores de quatro espécies diferentes e que ocupa uma área de 3000 metros quadrados".

Exibindo durante várias temporadas o seu compromisso "responsável", em particular contra o aquecimento global, a marca de moda já havia proposto durante o seu desfile de moda primavera-verão 2020 uma decoração em colaboração com o Atelier Coloco composta por árvores reais, replantadas na região de Paris (fotografia acima).

Um posicionamento que lembra o oposto da controvérsia gerada em torno de um desfile da Chanel realizado em março de 2018, no qual a marca usou árvores cortadas para uma decoração florestal no Grand Palais, provocando a ira das associações protetoras do meio ambiente. Depois disso, a Chanel comprometeu-se a reflorestar parte da floresta de Perche.

A Dior confirma com esta ação a sua vontade de "expressar mais do que nunca, que cada um de nós é um ator dos ecossistemas do amanhã, sejam naturais ou culturais", e faz parte do plano de patrocínio corporativo mais amplo do grupo LVMH, que dá direito a deduções fiscais.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.