×
414
Fashion Jobs
YOU ARE UNICORN
Fashion Buyer Casablanca
Efetivo - CLT · PORTO
SALSA
SEO Specialist
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
LION OF PORCHES
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
ADIDAS
Manager Financial Accounting - General Ledger Nam (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ORIGINAL WORLD
Marketing Manager
Efetivo - CLT · LISBOA
KICKS
Business Analyst (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
ADIDAS
Senior Manager HR - Global Business Services Porto (M/F/D)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
HR Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Regional Training Manager jd Portugal
Efetivo - CLT · Agualva-Cacém
ADIDAS
HR Controlling & Data Analytics Senior Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
HR Specialist - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Senior Kids Footwear Buyer
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner Retail
Efetivo - CLT · Alicante
SALSA
Salsa Gerente de Loja – Parque Atlântico – Encontra Aqui a Tua Paixão
Efetivo - CLT · Ponta Delgada
FARFETCH
Customer Service Advisor (Italian Speaker)
Efetivo - CLT · LISBOA
TEM-PLATE
Web / E-Commerce (Wordpress)
Estágio · LISBOA
JD SPORT
Sprinter Multichannel Graduates Program
Efetivo - CLT · Alicante
H&M
Visual Merchandiser Para Viseu
Efetivo - CLT · Viseu
H&M
Visual Merchandiser Para Leiria
Efetivo - CLT · Leiria
SALSA
Consolidation & Reporting Specialist - Equipa Com Experiência e Vitalidade
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Engenheiro Civil - Oportunidade Internacional Plena de Aventura e Dinamismo
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Vendedores de Loja Part-Time - Campera Outlet (m/f)
Efetivo - CLT · Carregado
Publicidade

Dolce e Gabbana querem deixar marca para a família Dolce quando morrerem

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 18 de dez de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Depois de afirmarem que não gostariam que a Dolce & Gabbana continuasse a operar  após a sua morte, Domenico Dolce e Stefano Gabbana anunciaram agora que querem que a família Dolce assuma o seu lugar.


Stefano Gabbana e Domenico Dolce no desfile de moda primavera-verão 20 da Dolce & Gabbana em Milão - © PixelFormula


"Gostaríamos muito de dar os nossos empregos à nossa família", disse Stefano Gabbana, que fundou a D&G em 1985 com Domenico Dolce, à Vogue Business. Os membros da família Dolce reuniram-se recentemente para discutir o futuro da empresa.

O anúncio apresenta uma reviravolta nos planos de sucessão da marca, uma vez que, em abril de 2018, Stefano Gabbana deixou claro que a continuação da empresa após a morte dos seus fundadores estaria fora de questão. "Quando estivermos mortos, estaremos mortos. Não quero que um designer japonês comece a cuidar do design da Dolce & Gabbana", disse ao jornal italiano Il Corriere della Sera.

A família Dolce já está fortemente envolvida nos negócios. Os pais de Domenico deixaram a Sicília para se estabelecerem em Milão para ajudar a dupla a lançar a marca. Além disso, o seu irmão de 54 anos, Alfonso, é CEO da empresa, enquanto a sua irmã Dora, de 64, é responsável pela pesquisa e desenvolvimento da linha de prêt-à-porter da marca. Os sobrinhos e sobrinhas de Domenico também trabalham na empresa, como Giuseppina Cannizzaro, responsável pela alta costura, e o seu irmão Christian, encarregado pelos sapatos e acessórios.

Domenico Dolce, de 61 anos, e Stefano Gabbana, de 57, possuem, cada um, 40% da D&G, com a participação restante pertencente à família Dolce, via Alfonso e Dora. Portanto, a ideia seria passar a empresa para a família Dolce e não vendê-la sob nenhuma circunstância. “Esta empresa é como um filho nosso. Quando se é mãe, não se pode vender os filhos”, disse Gabbana, acrescentando: “Tivemos sorte. Não queremos tornar-nos as pessoas mais ricas do cemitério", acrescentou.

Atualmente, a D&G emprega 5.500 pessoas em todo o mundo. No seu ano fiscal mais recente (2018/19), a empresa registou um aumento de 4,6% na receita, que totalizou 1,35 mil milhões de euros, apesar dos problemas na China, onde a marca foi boicotada após a publicação de comentários e um vídeo considerado racista.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.