×
350
Fashion Jobs
Por
Europa Press
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de jan de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

El Corte Inglés vai criar filial logística para competir com Amazon

Por
Europa Press
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de jan de 2021

O El Corte Inglés vai criar uma nova filial independente dedicada à logística para competir com a Amazon, tendo como objetivo oferecer as suas infraestruturas a terceiros e triplicar o volume de negócios para 1.200 milhões de euros, como foi relatado à Europa Press em fontes do grupo presidido por Marta Alvarez. Especificamente, a intenção da empresa é aproveitar a infraestrutura logística de que já dispõe, que serve os seus centros comerciais e supermercados.


El Corte Inglés vai criar a sua própria filial logística - El Corte Inglés


Como noticiado na passada terça-feira (29 de dezembro), pelo jornal El País, esta é uma divisão em que trabalham cerca de 5.000 pessoas, que conta com 1,2 milhões de metros quadrados de superfície em 50 armazéns centrais e regionais, para além dos armazéns dos pontos de venda em Espanha e Portugal, entre os quais transitam diariamente mil reboques, para além de outros meios de transporte que fazem entregas em lojas e em casas.

Estes serviços logísticos estão avaliados em cerca de 400 milhões de euros (valor que o El Corte Inglés gastaria se tivesse de os contratar no exterior), de acordo com fontes familiarizadas com o projeto citado pelo jornal.

Desta forma, a empresa aproveitará e reforçará a atual infraestrutura logística e de transporte, mesmo com acordos com outros especialistas, e oferecê-la-á a terceiros, para se tornar o seu operador logístico do princípio ao fim, desde as fábricas de produção até, se necessário, ao domicílio do cliente.

O grupo, que está a acelerar a sua digitalização, triplicou as vendas online no primeiro semestre do ano e representa agora 15% do total das vendas a retalho, em comparação com os 7% do ano passado. Mais concretamente, as vendas online cresceram 124% no segundo trimestre após a reabertura das lojas, com um aumento de 218% só no mês de junho.
 

Copyright © 2021 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.