×
317
Fashion Jobs
CONFIDENCIAL
Supervisor de Operações (m/f) - Sul
Efetivo - CLT · LISBOA
ADIDAS
Buyer (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
o2c Credit And Collections Manager (m /f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - Italian Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
ADIDAS
Senior Data Analyst (m/f) - Direct-tO-Consumer
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Junior Controlling & Reporting Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Tax Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Designer de Moda (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Loures Shopping - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Loures
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Alegro Alfragide - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Carnaxide
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Freeport - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Alcochete
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Fórum Castelo Branco - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Castelo Branco
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Palácio do Gelo - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Viseu
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Vasco da Gama - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Lisboa
ADIDAS
Senior Controlling & Reporting Specialist (m/f) - Temporary
Trainee · PORTO
ADIDAS
Senior Controlling & Reporting Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Assistant Accountant (m/f) - Direct-tO-Consumer
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Assistant Accountant - Accounts Payable
Efetivo - CLT · Porto
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendor(a) - Porto Norte - 20h H/F H/F
Efetivo - CLT · NORTH BERGEN
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de jun de 2020
Tempo de leitura
6 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Empresas respondem a protestos em todos os EUA contra o racismo e a injustiça

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de jun de 2020

Enquanto os protestos em resposta à injustiça contra os afro-americanos - e as mortes de Ahmaud Arbery, Breonna Taylor e George Floyd - prosseguem em cidades de todos os EUA, muitas empresas emitiram respostas públicas para fazer face à agitação da nação.


"Black lives matter" (A vida dos negros é importante) - Instagram @nordstrom


Nordstrom

A Nordstrom fez uma longa declaração do presidente e CEO da marca, Pete Nordstrom, e do CEO, Erik Nordstrom, a abordar a necessidade de ação para criar mudanças.

"Como muitos de vós, ficámos profundamente entristecidos e indignados com os recentes acontecimentos no nosso país", lê-se na declaração.

"As mortes sem sentido de George Floyd, Breonna Taylor, Ahmaud Arbery e muitos outros reflectem o preconceito racial profundamente enraizado e a injustiça que ainda hoje existe nas nossas comunidades".

"A morte desnecessária e injusta de alguém não deve ser aceite. A questão da raça e as experiências de demasiadas pessoas de cor não podem ser ignoradas. Devemos aos nossos funcionários, aos nossos clientes e às nossas comunidades o ser muito claros na condenação destes atos de violência. Representam um desrespeito pelos direitos humanos básicos que não tem lugar nas nossas comunidades ou no nosso país, e certamente não na Nordstrom".

"Como empresa, sabemos que temos a oportunidade de melhorar as coisas, e é por isso que nos últimos anos ampliámos os nossos esforços quando se trata de diversidade, inclusão e pertença à Nordstrom. Começa não só por falar, mas também por ouvir".

No domingo (31 de maio), a Nordstrom encerrou temporariamente todas as suas lojas depois de ter selecionado locais, incluindo lojas em Los Angeles e Seattle, foram vandalizados e pilhados durante os protestos.


"For once, Don't do it" (Por uma vez, não o faça) - Instagram @nike


Nike

A Nike fez a sua própria declaração, dando uma volta no seu slogan "Just Do It" (Fá-lo), exortando os fãs do gigante do vestuário atlético a "For once, Don't do it" (Por uma vez, não o faça), num vídeo colocado nos canais de redes sociais.

"Não finja que não há problema na América", lê-se na declaração. "Não vire as costas ao racismo. Não aceite que nos tirem vidas inocentes. Não arranje mais desculpas. Não pense que isto não o afecta. Não se sente e fique calado. Não pense que não pode fazer parte da mudança. Façamos todos parte da mudança".


"Racism" (Racismo)censurado a vermelho - Instagram @adidas


Adidas

Pondo de lado as rivalidades, a Adidas retweetou a declaração da Nike no Twitter. Para além disso, a empresa partilhou a sua própria declaração, escrevendo: "Juntos é como avançamos. Juntos temos o poder de fazer mudanças. Juntos temos de lutar contra o que está errado e tentar fazer o que esteja certo".


"As a team we've vowed to face pain with purpose" (Como uma equipa, jurámos enfrentar a dor com propósito) - Instagram @target


Target

No dia seguinte ao anúncio do encerramento temporário de algumas lojas, a Target em toda a área de Minneapolis-Saint Paul, Minnesota, divulgou uma declaração do CEO Brian Cornell dirigida às "nossas equipas e comunidades nas Twin Cities e não só".

"Como equipa da Target, juntámo-nos, consolámos, assistimos a cenas horríveis semelhantes às que estão a acontecer agora e chorámos que não é suficiente o que esteja a mudar. E, como equipa, jurámos enfrentar a dor com propósito. As nossas equipas de loja e RH estão a trabalhar com todos os membros da nossa equipa deslocados, incluindo os mais de 200 membros da nossa loja de Lake Street, em Minneapolis. Iremos assegurar que tenham o salário e benefícios completos nas próximas semanas, bem como o acesso a outros recursos e oportunidades dentro da Target".

"Em qualquer das nossas outras localizações danificadas ou em risco, a segurança e o bem-estar da nossa equipa, dos convidados e da comunidade envolvente continuarão a ser a nossa principal prioridade".

Desde então, a Target alargou o encerramento temporário de lojas, bem como reduziu o horário de funcionamento para mais de 200 lojas, incluindo locais na Califórnia, Geórgia e Filadélfia, entre outros estados, na sequência da vandalização de várias lojas Target.


"...Together we stand with solidarity with Black community..." (Juntos estamos solidários com a comunidade negra) - Instagram @amazon


Amazon

Numa declaração, o gigante do comércio electrónico condenou publicamente aquilo a que chamou "o tratamento injusto e brutal da população negra no nosso país".

"Juntos estamos solidários com a comunidade negra - os nossos empregados, clientes e parceiros - na luta contra o racismo sistémico e a injustiça".

Tal como declarações de muitas outras empresas, a declaração da Amazon, sensibilizando para a injustiça, recebeu rapidamente reações negativas de alguns, que chamaram a atenção para a história recente da empresa de alegadamente maltratar os funcionários dos armazéns.


"Live in new world" (Vive num mundo novo) - Instagram @virgilabloh


Virgil Abloh

Virgil Abloh, diretor artístico masculino da Louis Vuitton e designer Off-White, suscitou animosidade nas redes sociais para a sua resposta aos protestos.

Num post do Instagram que já não existe, Abloh compartilhou um vídeo da loja vandalizada e saqueada de Los Angeles Round Two, a revendedora de streetwear fundada por Sean Wotherspoon.

No post, Abloh bateu nos saqueadores, escrevendo: "Isso enoja-me". Para as crianças que saquearam a loja [Wotherspoon's] e RSVP DTLA, e todas as nossas lojas na nossa cena apenas sabem, que o produto que está a olhar para si na sua casa/ apartamento neste momento está manchado e é uma lembrança de uma pessoa que espero que não esteja".

Abloh publicou ainda a sua história no Instagram, citando o vandalismo como motivo pelo qual disse que "a roupa de rua está morta".

Os críticos disseram que a declaração fez parecer que Abloh se preocupa mais com os produtos do que com as vidas perdidas e as injustiças que inspiraram os protestos.

Abloh provocou ainda mais desaprovação depois de ter partilhado uma imagem da sua doação feita a um fundo de fiança de Miami, num total de 50 dólares. Muitos viram o valor como sendo muito baixo, com alguns a salientarem que nenhum dos desenhos feitos por Abloh pode ser comprado por 50 dólares. 


"We stand for love. We stand for unity. Black Lives Matter" (Somos a favor do amor.Somos a favor da unidade. A vida dos negros é importante) - Instagram @marcjacobsfragrances


Marc Jacobs

No Twitter, alguns usuários criticaram Abloh comparando a sua resposta aos protestos e destruição resultantes da declaração pública do designer Marc Jacobs. Na conta pessoal no Instagram, Jacobs compartilhou um texto que foi publicado pela organização política SURJ NYC com a legenda "#BLACKLIVESMATTER".

"Nunca deixe que o convençam de que o vidro quebrado, ou a propriedade, é violência", dizia a publicação. "A propriedade pode ser substituída, a vida humana não".

Além da Nordstrom e da Target, retalhistas e marcas como a Walmart, Nike e Adidas fecharam temporariamente as suas lojas por consequência dos protestos.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.