Ermenegildo Zegna adquire participação maioritária na Dondi, produtora italiana de malhas

Na véspera do evento têxtil Milano Unica, em Milão, que começa no dia 9 de julho, a Ermenegildo Zegna anunciou uma grande aquisição. O grupo italiano de moda masculina adquiriu uma participação de 65% no grupo Dondi, reconhecido fabricante de malhas masculinas e femininas 100% made-in-Italy. O valor da transação não foi divulgado.
 
Amostras das últimas coleções da Dondi - gruppodondi.it

A Dondi tem sede em Fossoli, nos arredores do pólo têxtil de Carpi, no centro de Itália, perto de Modena, e é descrita como "líder em malhas fabricadas exclusivamente em Itália", com "um ciclo de produção totalmente interno", do design de tecidos à distribuição. Há mais de 40 anos, a Dondi é fornecedora das principais marcas de moda e designers do segmento de luxo, incluindo o grupo Zegna. A Dondi atua nos mercados doméstico e internacional, incluindo Estados Unidos, França, Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Reino Unido, Turquia e vários países emergentes.
 
A empresa foi fundada na década de 70 por Edda e Lauro Dondi, dois empresários têxteis apaixonados por malhas, originalmente como Dondi Jersey, passando a chamar-se Gruppo Dondi na década de 80. Atualmente, a empresa é dirigida pelos filhos dos fundadores, Lorella (e o seu marido Guido Capelli) e Stefano Dondi. Estes encaram a Ermenegildo Zegna como “o parceiro ideal para a continuação natural da história empreendedora”, de acordo com um comunicado.

O acordo com a Zegna prevê que “a família Dondi-Capelli mantenha uma participação de 35%, além de controlo criativo e operacional” sobre a empresa. Para esta operação, o grupo Zegna adotou a mesma fórmula utilizada com a produtora têxtil Bonotto, na qual adquiriu uma participação de 60% em 2016, deixando uma participação minoritária e controlo criativo e operacional na empresa há muito estabelecida para a sua família fundadora. É um caminho para a Zegna preservar o know-how têxtil italiano e garantir o controlo da sua cadeia de abastecimento.
 
"Este investimento visa reforçar o controlo cada vez mais rigoroso da nossa cadeia de abastecimento têxtil, que é fortemente caracterizada por uma produção diversificada e rigorosamente fabricada em Itália", disse o CEO Ermenegildo Zegna. Ao longo dos anos, o grupo Zegna também comprou a Tessitura di Novara e a Lanerie Agnona.
 
Em 2018, o grupo italiano gerou uma receita de 1,159 mil milhões de euros e um lucro líquido de 34 milhões de euros (+4%), e também assumiu o controlo da marca de prêt-à-porter de luxo Thom Browne.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER