×
Por
DPA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de set. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Escada abre novo processo de insolvência

Por
DPA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de set. de 2020

A fabricante alemã de roupa de luxo e cosmética, Escada SE, apresentou um pedido de insolvência ao Tribunal Distrital de Munique, terça-feira (1 de setembro), tendo-o anunciado quarta-feira (2). Christian Gerloff foi nomeado administrador de insolvência provisório.

As operações comerciais devem continuar até nova ordem. Segundo a Escada, as outras empresas do grupo não serão afetadas. No entanto, a Escada SE é a unidade operativa central do grupo.


Escada SE declara insolvênciapela segunda vez - @escadaofficial


A Escada explicou que o objetivo da gestão é continuar com as operações comerciais no âmbito de um processo de reestruturação já iniciado.

"Tentaremos esclarecer muito rapidamente as opções futuras que a empresa tem, como uma das principais empresas do Grupo Escada, vistas de forma realista", explicou o administrador da insolvência. Além disso, a empresa quer iniciar negociações "imediatamente", sobre o pré-financiamento do dinheiro da insolvência para os 180 empregados afetados na sede e em oito lojas da Alemanha.

O administrador da insolvência, Christian Gerloff, já está a trabalhar neste âmbito, para a Escada, pela segunda vez. A marca já tinha experimentado uma insolvência em 2009, na qual Gerloff também foi nomeado. Na altura, a empresa foi adquirida pela empresária indiana, Megha Mittal, que a vendeu no outono do ano passado à Regent, empresa global de private equity dos EUA. Michael Reinstein, fundador e presidente da Regent, anunciou então que queria "levar o negócio a novos patamares".


O declínio das vendasda Escada já remontaa anos anteriores - Escada


A marca de moda feminina de luxo já tinha sofrido com o declínio das vendas em anos anteriores. E, explicou que agora foi ainda mais intensificado pelas consequências da pandemia de COVID-19. A empresa já não publica números comerciais atuais. Os últimos números conhecidos são de 2017, quando esta estava em vermelho intenso.

Nos anos 90, a Escada foi uma das maiores marcas mundiais de moda feminina de luxo e realizou vendas na ordem dos milhares de milhões. Supermodelos como Claudia Schiffer, Linda Evangelista, Cindy Crawford e Naomi Campbell apresentaram as suas coleções.