×
358
Fashion Jobs
MINGA LONDON
Ecommerce Manager
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
MINGA LONDON
Head of Creative Content / Art Director
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
SALSA
IT Retail Systems Specialist – Oportunidade de Suporte e Participação em Projetos de IT
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
GIANNI KAVANAGH
Marketing Director
Efetivo - CLT · BRAGA
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
EL CORTE INGLÉS, GRANDES ARMAZÉNS SA
Vendedores de Moda
Efetivo - CLT · LISBOA
RE/MAX COLLECTION, MAXGROUP
Profissional do Setor de Moda (m/f) Com Vertente Comercial
Estágio · LISBOA
BROWNIE
Sales Advisor
Efetivo - CLT · PORTO
BROWNIE
Sales Advisor
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - 8ª Avenida - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · São João da Madeira
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Parque Atlântico - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Ponta Delgada
CONFIDENCIAL
Engenheiro(a) de Qualidade Têxtil - Vestuário
Efetivo - CLT · PORTO
SANDRO PORTUGAL
Concession Manager - Lisboa el Corte Ingles h/m
Efetivo - CLT · LISBOA
LION OF PORCHES
Técnico(a) de Qualidade
Efetivo - CLT · VILA DO CONDE
RALPH LAUREN
Sales Associate (Vendedor Loja)
Efetivo - CLT · Alcochete
SANDRO PORTUGAL
16 Hours Sales Assistant Lisbon h/m
Trainee · LISBOA
MINGA LONDON
Stylist
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
9 de mar de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

EssilorLuxottica regista aumento de lucro em 2019 e prevê crescimento nas vendas para 2020

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
9 de mar de 2020

Após registrar fortes resultados em 2019, a empresa especializada em óculos, EssilorLuxottica, anunciou que espera um crescimento contínuo de lucros este ano. A companhia acrescentou que o surto de COVID-19 não atingiu a produção nas suas fábricas italianas e que a produção na China está a normalizar-se.


A EssilorLuxottica estima um crescimento de 3 a 5% nas vendas de 2020. - Ray-Ban


O proprietário de marcas como Ray-Ban e Oliver Peoples, informou que o novo coronavírus prejudicou a sua atividade na China, que representa cerca de 5% do lucro total. Sexta-feira (6), as ações da EssilorLuxottica caíram 3,24%, como reflexo do medo de interrupções nos negócios por causa do novo coronavírus e de uma desaceleração económica global prolongada.

"Em termos de produção, as fábricas da EssilorLuxottica na China estão atualmente a operar com uma capacidade ligeiramente reduzida, o que está a normalizar rapidamente, enquanto as fábricas em Itália e noutros locais estão atualmente a operar com capacidade total", afirmou a companhia.

Formada em 2018 a partir da fusão da fabricante francesa de lentes Essilor e do grupo italiano de óculos Luxottica, a empresa disse que o lucro líquido ajustado, excluindo aquisições e outros custos, aumentou 4,8% à taxa de câmbio constante, para 1.94 biliões de euros no ano passado, o que possibilitou à empresa superar as metas estabelecidas para o período.

A EssilorLuxottica, que espera que a epidemia de COVID-19 seja resolvida, estima um aumento entre 3% a 5% nas vendas em 2020 e que o crescimento do lucro líquido ajustado atinja 1,2 vezes nas suas receitas.

No entanto, este ano, a empresa está a enfrentar uma série de desafios, com a gestão corporativa a encabeçar a lista. A sua fusão foi turbulenta desde o início, com discussões sobre quem deveria administrar o negócio. No ano passado, culminou com o fundador da Luxottica e maior acionista da nova entidade, Leonardo Del Vecchio, a dar início a um processo de arbitragem que logo foi abandonado, com as partes a comprometerem-se a encontrar um novo CEO até o final de 2020.

A semana passada, o grupo anunciou que a vice-presidente financeira, Hilary Halper, ia deixar o cargo, mas não forneceu mais detalhes sobre a sua saída. Hilary foi substituída sexta-feira por David Wielemans, ex-CFO da unidade Sun & Readers da Essilor.
 
A questão da gestão levou alguns investidores a expressarem a sua preocupação em relação à capacidade da empresa de realizar a fusão e em relação aos prometidos cortes de custos de até 600 milhões de euros por ano a partir de 2022.


A Third Point, um fundo de hedge norte-americano conhecido por impulsionar mudanças em empresas como a Nestlé e Campbell Soup, pressionou recentemente a EssilorLuxottica para recuperar o crescimento e pediu para “acelerar as transições de liderança".

A EssilorLuxottica também precisará convencer os reguladores de que a proposta de aquisição do grupo óptico holandês GrandVision por até 7,2 biliões de euros não aumentará os preços ou reduzirá a escolha dos consumidores.
   
Reguladores antitruste da UE estão a investigar o caso e está prevista uma decisão final para julho.
 

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.