Estilista chinesa 'adota' filha de Trump e desvaloriza debate sobre boicote

A indústria da moda norte-americana debate atualmente sobre um boicote à família direta do Presidente dos Estados Unidos, mas para uma estilista chinesa a filha mais nova de Donald Trump parece ser um ativo importante.

De acordo com a reportagem da agência de notícias francesa AFP, a estilista chinesa Taoray Wang, que planeia abrir a primeira loja nos Estados Unidos, em Nova Iorque, em setembro, convidou Tiffany Trump, a filha mais nova de Donald Trump e da ex-mulher Marla Maples, para estar na primeira fila da plateia que assistiu ao espetáculo de arranque da Semana da Moda em Nova Iorque.

Tiffany Trump, à esquerda, e Ivanka Trump, que teve esta última semana sua marca tirada das prateleiras da retalhista de luxo Nordstrom. - Foto: Reprodução

A 'primeira filha' mais nova, como são conhecidos os filhos dos Presidentes norte-americanos, já tinha usado um vestido desta estilista chinesa na tomada de posse do pai e foi "adotada com felicidade" pela estilista baseada em Xangai e com um 'atelier' em Londres, conta a reportagem da AFP.

Em declarações à agência de notícias francesa, Wang disse que os clientes, que estão maioritariamente na China, ficaram agradados por ver a filha de Trump, "uma encantadora jovem", usar as suas roupas e garantiu que não recebeu qualquer reação negativa.

"Eu prefiro focar-me nas qualidades pessoais e no caráter, mais do que lhes colocar um rótulo", disse nos bastidores do desfile que decorreu hoje em Nova Iorque.

Sobre a campanha de protesto contra as marcas de Trump e a rejeição que vários estilistas conhecidos já manifestaram em trabalhar para o Presidente e para a sua mulher, Wang desvalorizou as críticas: "Não penso muito sobre isso, porque sou uma pessoa de mente muito aberta; eu coopero com celebridades internacionais e muitos líderes", respondeu.

"Acredito que há muitas pontes entre diferentes culturas", disse a chinesa que estudou no Japão e tem um estúdio em Londres, detentora de uma marca que se foca "nesta mistura e diversidade".

Nas últimas semanas têm sido várias as notícias que dão conta das dificuldades dos Trump em manterem os seus negócios neste ramo.

A filha Ivanka Trump viu a sua linha de roupa e calçado ser retirada da cadeia de lojas Nordstrom, que enfrentou uma campanha dos consumidores nesse sentido, mas alegou oficialmente que a decisão surgiu devido ao "mau desempenho da marca nesta temporada".

Já a canadiana Shoes.com assumiu numa mensagem nas redes sociais que foi devido aos protestos, aglomerados na 'hashtag' GrabYourWallet, que decidiu deixar de vender esta marca de calçado.

Uma 'hastag' é uma etiqueta usada nas redes sociais para referenciar um tema específico e, neste caso, 'GrabYourWallet' é uma referência a um comentário pejorativo feito em outubro por Trump, no qual disse durante uma conversa privada que conseguia agarrar as mulheres pelos órgãos genitais.

Copyright © 2018 Agência LUSA. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - CalçadosJoalhariaLuxo - DiversosPersonalidades
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER