Farfetch associa-se à JD.com e recebe investimento significativo do gigante chinês

A Farfetch continua a ser notícia. Após ter sido ligada à Condé Nast na semana passada, na última quinta-feira foi divulgada a notícia de que o gigante chinês de e-commerce JD.com fará um investimento significativo na empresa londrina. A JD inicia uma parceria estratégica com a retalhista de luxo sedeada em Londres para "criar a primeira plataforma de e-commerce de luxo em toda a China, abrindo uma porta de entrada para um mercado de 80.000 milhões de dólares (71.675 milhões de euros )".

Farfetch aumenta as suas operações na China graças à associação com a JD.com

Esta é um grande oportunidade para a China, considerada a grande esperança para o crescimento do setor de luxo, e a JD é um dos maiores nomes nesse mercado.

A parceria alavanca as capacidades de logística, internet e tecnologia da JD, os recursos de redes sociais, incluindo a sua parceria com a WeChat. Com a poderosa posição da Farfetch no luxo global, o objetivo é  "criar uma experiência de marca sem igual e perfeita".

A Farfetch já é conhecida na China e tem operações bem estabelecidas na região, mas a empresa informou que a JD "ajudará a aumentar a brand awareness, o tráfego e as vendas" no país.

Como parte deste acordo, a JD tornar-se-á num dos maiores acionistas da Farfetch, investindo 397 milhões de dólares, e Richard Liu, fundador e CEO da JD, juntar-se-á ao conselho da Farfetch, entrando num meio cada vez mais concorrido, que também abriu as portas a Jonathan Newhouse, da Condé Nast, na semana passada.

A JD e a Farfetch irão colaborar em soluções de marketing, logística e tecnologia para construir a marca na China, enquanto a Farfetch continuará a ser uma marca voltada para o cliente.

Então, que benefícios trará a JD, além do investimento financeiro e sua expertise chinesa? A empresa afirmou que "ao elevar o JD Luxury Express, o seu recém lançado serviço de alto luxo, a Farfetch poderá oferecer aos clientes um serviço de nível superior”.

E, para os consumidores chineses, a mistura da experiência do luxo da empresa londrina, e a entrega feita num dia, que a JD oferece, bem como um serviço altamente profissional, oferecerão uma proposta de luxo incomparável".

As marcas parceiras da Farfetch, que possuem uma presença inferior no mercado local, "também terão acesso a recursos mundiais de omnichannel, incluindo click & collect e possibilidade de devolução em lojas físicas, ligando as lojas de retalho físicas das marcas na China, e trazendo facilidades ao consumidor.


A JD.com terá um grande um impulso no mercado de luxo com a nova parceria

Um dos principais recursos de que os compradores chineses poderão usufruir será o JD Finance, incluindo JD Pay e Baitiao, o seu canal de microcrédito.

O link-up também irá alavancar a BlackDragon, uma plataforma de tecnologia de marketing digital que permitirá à Farfetch "ativar os vastos recursos de big data da JD  e ajudar a comercializar e construir pipelines de marketing automatizado para estimular o reconhecimento da marca e a posição de mercado da Farfetch na China “

A JD disse que esta ação vai acontecer para colocar um foco maior no "luxo e moda high-end para satisfazer a enorme procura" que está se tem registado entre os compradores chineses cada vez mais afluentes. O gigante chinês tem analisado mais o crescimento internacional como o próximo passo e vê a moda, em especial a de luxo, como um mercado maduro para a exploração.

Nos últimos dois anos, a empresa tem sido anfitriã de desfiles de moda em Nova Iorque, Milão e Londres, além de Pequim e Xangai, e este ano nomeou Winston Cheng como presidente internacional para liderar o desenvolvimento de empresas não-chinesas com parceiros globais e investimentos no exterior. Também separou a JD Fashion numa nova unidade de negócio de comércio eletrónico com Xia Ding como presidente, "dando mais prioridade à vertical".

Durante este ano, a JD Fashion teve um grande impulso nas áreas de luxo e moda, lançando várias marcas internacionais importantes no site, incluindo Armani, Swarovski e Zenith.

“Sempre acreditámos que a tendência a longo prazo do comércio eletrónico chinês é a qualidade em relação aos preços, e esta parceria com a Farfetch amplia a nossa liderança na batalha pelo futuro dos consumidores móveis da China”, comentou o presidente e CEO, Richard Liu.

O head da Farfetch, José Neves, acrescentou: "A China é o segundo maior mercado de luxo do mundo, e estamos muito satisfeitos por ter um parceiro tão respeitado, conhecido pela sua proteção rígida de IP, que atende os consumidores chineses de luxo. Esta parceria aborda os desafios do mercado, combinando a marca Farfetch, e a curadoria com a escala e influência do gigante chinês do comércio eletrónico".

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosSalões de Moda
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER