×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
14 de mai. de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Farfetch: receitas saltam impulsionadas pelo estrondo do início de 2021

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
14 de mai. de 2021

A Farfetch – plataforma líder mundial no mercado online de moda de luxo, que foi fundada pelo empresário portuense José Neves – relatou outro grande salto em termos de valor bruto da mercadoria (GMV) e da plataforma digital GMV, uma vez que continua a beneficiar da mudança de consumidores no canal online, tanto em geral como devido à pandemia de COVID-19.


A Farfetchviu a GMV e a plataforma digital GMV crescerem 50% e 60%, respetivamente, no primeiro trimestre - Farfetch


O primeiro trimestre (Q1) viu a GMV e a plataforma digital GMV crescerem 50% e 60% respetivamente, para 916 milhões e 790 milhões de dólares. As suas receitas do Q1 também subiram fortemente, 46% em relação ao ano anterior, para 485 milhões de dólares. Como também melhorou as perspetivas da plataforma digital GMV para o ano inteiro.

Tudo isto ajudou a que o lucro líquido atingisse 517 milhões de dólares nos primeiros três meses do ano, após um prejuízo de quase 80 milhões de dólares desta vez no ano passado. Dito isto, o lucro líquido foi impulsionado por itens pontuais e o EBITDA ajustado resultou numa perda de 19,2 milhões de dólares, embora esta perda tenha sido melhor do que a de 22,3 milhões de dólares do primeiro trimestre de 2020.

Segundo o fundador e CEO da empresa, José Neves, o negócio "está a ter um arranque tremendo em 2021, com uma aceleração mais forte do que o esperado no primeiro trimestre e expectativas de crescimento mais elevadas para o ano inteiro do que o inicialmente previsto".

Este acrescentou que as parcerias de marca "nunca foram tão fortes, e as nossas iniciativas de construção de clientes e de marcas estão a ter uma boa ressonância para conduzir à consciência da nossa proposta de valor e à retenção dos nossos valiosos consumidores".


José Neves da Farfetch mostra-se entusiasmado com a reação positiva dos consumidores - DR


José Neves está também "muito entusiasmado com a reação positiva dos consumidores ao nosso recente lançamento no Pavilhão de Luxo do Tmall, e com a dinâmica que está por detrás da nossa visão do Novo Retalho de Luxo, à medida que a vemos ser adotada por parceiros de luxo em todo o mundo".

Analisando com mais detalhe o que aconteceu no primeiro trimestre, a empresa informou que as transações de terceiros geraram 85% da plataforma digital GMV a uma taxa de absorção de 29,7%. 

A Farfetch Marketplace ofereceu um número recorde de unidades de stock em mais de 3.550 marcas de cerca de 1.400 vendedores, "à medida que o crescimento da oferta de retalho multimarca e de concessões eletrónicas acelerou, incluindo o das nossas 10 maiores concessões eletrónicas de marcas que mais do que duplicaram as unidades de stock disponíveis ano após ano".

A empresa também impulsionou as vendas, uma vez que acrescentou eventos interativos de livestream, permitindo aos Clientes Privados envolverem-se com criadores de marcas como a AZ Factory e a JAY AHR.

Outros grandes passos incluíram a relocalização da sua loja física Browns para uma melhor localização na Brook Street de Londres; uma parceria alargada com a Chanel com a implementação da tecnologia Connected Retail na boutique da marca no Mónaco; e muitas outras iniciativas.


Fachada da nova flagship da Browns em Londres - Browns


Embora a Farfetch seja principalmente uma operação digital, como a mudança Browns demonstra, também opera algumas lojas físicas que são altamente importantes na arena da moda de luxo. E mais acrescentou que a loja da Brook Street viu as receitas aumentarem em 25,4% para 10,7 milhões de dólares.

Enquanto as lojas físicas em certos locais permaneceram fechadas durante grande parte do trimestre (especialmente na Europa), o crescimento foi principalmente impulsionado pela abertura de lojas adicionais da marca New Guards durante o ano passado. Com o encerramento temporário de lojas a terminar agora em muitos locais, os números das lojas físicas para o segundo trimestre (e para além deste) deverão melhorar mais rapidamente.

Portanto, não é surpresa que a empresa tenha melhorado as suas perspetivas para o segundo trimestre (Q2) e para o ano inteiro. No trimestre atual, espera que a plataforma digital GMV se situe entre os 910 milhões e os 945 milhões de dólares (representando um crescimento de 40%) e que a plataforma de marca GMV ronde os 50 milhões e os 60 milhões de dólares. A Farfetch prevê também uma perda de EBITDA ajustado entre 23 milhões e 25 milhões de dólares.

Para o ano, a plataforma digital GMV deverá situar-se entre 3,725 mil milhões e 3,865 mil milhões de dólares, o que representa um crescimento de 35% a 40%.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.