×
384
Fashion Jobs
ZIPPY
E-Commerce Business Technician (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Sales Associate Centro Comercial Norteshopping
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
IT Sap Specialist fi/co e HR
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Gbs Senior Buying Specialist (m/ f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
General Ledger Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
H&M
Senior Lawyer - Expansion Department
Efetivo - CLT · Barcelone
CLAUDIE PIERLOT
Vendedor(a) - 30h - CDD 3 Meses - Eci Porto H/F
Trainee · PORTO
TOMMY HILFIGER (RETAIL)
Sales Consultant / Vendedor(a) Tommy Hilfiger 40h - Lisboa - Temporário (1 Mês)
Trabalho temporário · LISBOA
TOMMY HILFIGER (RETAIL)
Store Manager Tommy Hilfiger 40h - Lisboa
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Vendedores de Loja Part-Time - Espaço Guimarães (m/f)
Efetivo - CLT · Guimarães
H&M
Fashion or Print Design Student Placement Summer 2020
Efetivo - CLT · Stockholm
MO
mo - Sales Assistant - Sesimbra
Efetivo - CLT · Sesimbra
MO
mo - Sales Assistant - Mafra
Efetivo - CLT · Mafra
MO
mo - Sales Assistant - Arrábida Shopping
Efetivo - CLT · Greeley
ZIPPY
Zippy - Sales Assistant - Spacio Olivais
Efetivo - CLT · Lisboa
MO
mo - Sales Assistant - Pinhal Novo
Efetivo - CLT · Pinhal Novo
ZIPPY
Zippy - Sales Assistant - Paços de Ferreira (Ferrara Plaza)
Efetivo - CLT · Paços de Ferreira
MO
mo - Sales Assistant - Alverca
Efetivo - CLT · Alverca do Ribatejo
MO
mo - Sales Assistant - Setúbal
Efetivo - CLT · Setúbal
MO
mo - Sales Assistant - Beja Retail
Efetivo - CLT · Beja
ZIPPY
Zippy - Sales Assistant - Reforço de Natal - Fórum Montijo
Efetivo - CLT · Montijo
ZIPPY
Zippy_Store Manager_Alfragide
Efetivo - CLT · Amadora

Fast Retailing quase alcança objetivos para 2018/19 e melhora previsões

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 10 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

O grupo japonês Fast Retailing, empresa controladora da conhecida marca Uniqlo, anunciou na quinta-feira um lucro líquido recorde, próximo das suas previsões para o exercício de 2018/19, apesar dos contratempos na Coreia do Sul. O grupo espera fazer ainda melhor durante o ano em curso.


Colaboração JW Anderson x Uniqlo outono 19 - Uniqlo


O grupo do multimilionário Tadashi Yanai registou um ganho líquido de 162,6 mil milhões de ienes (1,4 mil milhões de euros) nos 12 meses de setembro de 2018 a agosto de 2019. Este resultado, que era esperado, mostra, no entanto, que o quarto trimestre não foi maravilhoso, especialmente devido ao boicote às marcas japonesas pelos consumidores sul-coreanos no contexto de um conflito histórico.
 
O volume de negócios total da rival de grupos como Gap, Zara ou H&M valorizou 7,5% em termos homólogos, para 2.290,5 mil milhões de ienes (19,35 mil milhões de euros), algo inédito.

O seu lucro operacional também alcançou um nível nunca antes registado, depois de subir 9,1% para 257,6 mil milhões de ienes (2,18 mil milhões de euros), apesar do difícil primeiro trimestre e de um quarto trimestre lento.
 
Vendas crescem 14,5% na Uniqlo
 
A Uniqlo, a locomotiva do grupo, apresentou, como habitualmente, sólidos desempenhos no estrangeiro (com as vendas a subirem 14,5% e o lucro operacional 17%), apesar da "queda nas vendas e lucros na Coreia do Sul".
 
Por outro lado, o grupo congratula-se com um salto na sua receita na China, onde, segundo indica, confirmou a sua posição como número um no seu domínio.
 
As perdas sofridas nos Estados Unidos "diminuíram" significativamente e na Europa as vendas foram sólidas, embora o clima não tenha sido muito favorável durante parte do ano.
  
No Japão, a receita das lojas Uniqlo subiu apenas 0,9% e o lucro operacional diminuiu 13,9%, devido a um atraso entre as estações de vestuário e a realidade das temperaturas mais quentes. O grupo teve que aplicar descontos, em detrimento das suas margens. No Japão, as vendas pela internet estão paralelamente a ganhar terreno.
 
Enquanto a Uniqlo subiu de categoria, a G.U., a marca líder de "roupas básicas e baratas" da Fast Retailing, também registou resultados muito bons, com vendas em alta de 12,7% e um salto de 139% no ganho operacional, em níveis recordes.

As outras marcas (incluindo Theory, PLST e J Brand) produziram no global resultados mistos, devido, entre outras coisas, ao mau momento que atravessam a Comptoir des Cotonniers e a Princesse Tam Tam, que continuaram deficitárias no exercício encerrado em agosto de 2019.
 
A rede mundial da Fast Retailing, todas as marcas incluídas, deverá crescer no próximo ano, totalizando as 3.745 lojas.
 
O objetivo do grupo para o exercício iniciado a 1 de setembro é um lucro líquido de 175 mil milhões de ienes (+7,6%) e um volume de negócios de 2.400 mil milhões de ienes (+5%). Espera-se que o seu lucro operacional seja de 275 mil milhões (+7% em termos homólogos).

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.