Fendi fortalece-se à espera do seu novo CEO

No futebol há um conceito conhecido como Gegenpressing, que significa concentrar todas as forças no ataque e focar na criatividade intensa. O desfile da Fendi na segunda-feira foi um exemplo perfeito disso.

Imagem : transmissão ao vivo do desfile Fendi - Fendi

O resultado? Uma coleção cheia de glamour e acessórios engenhosos, peças logotipadas com vigor, incluídas num contexto em que a marca aguarda a chegada de um novo CEO. O seu atual diretor-geral, Pietro Beccari, assumirá o novo cargo a 1 de fevereiro na Christian Dior, também parte do gigantesco grupo de luxo LVMH.
 
Última grande marca a apresentar as suas criações na Milan Fashion Week, a Fendi comprimiu uma enorme quantidade de produtos na sua passarela. Ou, melhor dizendo, a sua passadeira rolante, onde os modelos caminhavam ao redor de uma passadeira falsa de bagagens de aeroporto com as mais recentes carteiras, peças clássicas e até mesmo caixas de papelão adornadas com o duplo F de Fendi .
 
"Este desfile incorpora o ADN da marca, mostramos o logótipo, ou melhor, os logótipos e ideias clássicas dos nossos arquivos", explicou Silvia Fendi no backstage em frente ao seu moodboard, apontando para um casaco em vison gráfico criado na década de 1970 por Karl Lagerfeld.
 
Na passarela caramelo e preto da Fendi de hoje, viram-se casacos Eisenhower em couro preto com gola de raposa, casacos pós-ski de vison com padrões gráficos quadrados assinados Fendi, casacos de inverno com riscas de 20 cm de largura feitos de pele de carneiro e doudounes com patchworks de imagens de bananas e cavalos, como os convites do evento.

De vez em quando, um modelo pegava na sua carteira na passadeira de bagagem, uma carteira de couro em ziguezague ou uma carteira robusta de couro. O desfile também se concentrou na bagagem metálica em formato weekend da Rimowa, uma empresa administrada por Alexandre Arnault, o segundo filho de Bernard Arnault, o homem mais rico de França e o principal acionista da LVMH. A coleção-cápsula de alguns milhares de peças criadas especialmente para o Natal estava esgotada após dois dias.
 
"Talvez tenhamos que reeditar isso", disse rindo Pietro Beccari, que passou as últimas semanas a ir e voltar para Paris para preparar a sua entrada na Dior. Beccari e Antonio Belloni, o executivo italiano que funciona um pouco como primeiro ministro da LVMH, insistiram na ausência de decisão sobre quem tomará as rédeas da Fendi.
 
"Assim que saibamos mais, informaremos", sorriu Pietro Belloni, que batizou esta coleção como "Luxury decomplexé".
 
E, apesar da falta de clareza sobre a sucessão da sua direção, a Fendi está obviamente em boa forma, a julgar por esta coleção inteligente e comercialmente tentadora.

É preciso reconhecer: a LVMH tem historicamente mantido o enfoque das suas marcas no seu diretor artístico. Isso pode estar a ponto de mudar com Pietro Beccari, a nova estrela da gestão do grupo. Sob a sua liderança, a Fendi triplicou os seus números de vendas anuais para mais de mil milhões de euros em menos de cinco anos.

Traduzido por Isabel Pimentel

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

DesportoDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER