×
374
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Forever 21 declara falência nos Estados Unidos

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 30 de set de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A cadeia americana de vestuário acessível Forever 21, uma das últimas redes de retalho a sofrer com a explosão do comércio online, anunciou no domingo a sua colocação sob o regime de falências.


Forever 21


O pedido por proteção nos termos do capítulo 11 da Lei de Falências dos Estados Unidos é "uma etapa deliberada e decisiva para nos colocar no bom caminho no futuro", afirmou a cadeia esta segunda-feira através de um comunicado.
 
O capítulo 11 permitirá que a Forever 21 continue a operar sem prestar contas aos seus credores. Comummente conhecida como falência organizada, deixa a Forever 21 no controlo dos seus ativos durante a fase de restruturação.

Segundo uma porta-voz citada pelo Wall Street Journal, o grupo fechará até 350 lojas em todo o mundo, incluindo 178 nos Estados Unidos, o seu principal mercado.

Fundada em Los Angeles em 1984 pelo casal sul-coreano Do Won e Jin Sook Chang, a marca Forever 21 conta atualmente mais de 800 lojas em todo o mundo. A cadeia aproveitou a onda da fast fashion (rápida renovação de coleções), tornando-se omnipresente nos centros comerciais americanos e oferecendo aos clientes jovens imitações de grandes marcas, a preços muito baixos.
 
Com concorrência de marcas como H&M e Zara, a empresa procurou expandir a sua atividade para a roupa e calçado masculinos após a crise de 2008. Mas, segundo os analistas, não conseguiu reagir rapidamente ao aumento das vendas online, bem como a uma clientela preocupada com o impacto ambiental dos seus produtos e com as condições de trabalho nas suas fábricas.
 
Já no início de setembro, a cadeia anunciou o fecho, no final de outubro, das suas 14 lojas no Japão.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.