×
Por
EFE
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de out. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Fundación Loewe: o cubano Reiniel Pérez ganha o Premio Internacional de Poesía 2022

Por
EFE
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de out. de 2022

O cubano Reiniel Pérez, de 23 anos, ganhou o XXXV Premio Internacional de Poesía Fundación Loewe 2022, um dos mais prestigiados do seu género aberto a qualquer nacionalidade e dotado com 25.000 euros, assegurando a edição da obra, no caso "Las sílabas y el cuerpo". A decisão do júri foi tornada pública, na terça-feira (4 de outubro), em Madrid.


O júri, presidido por Víctor García de la Concha, salientou que a obra vencedora é "um livro de amor carnal, quase obsessivo" - Foto: Vivir Ediciones


O júri, presidido por Víctor García de la Concha, salientou que a obra vencedora é "um livro de amor carnal, quase obsessivo, que aprofunda a vida sexual das palavras e desfruta da presença da amorosidade do corpo, como um tema emocional e eterno", disse o júri.

Sendo um livro escrito em Castelhano por uma pessoa com menos de 33 anos de idade, de acordo com as regras do prémio, este ano o prémio para Creación Joven não foi atribuído.

A obra de Reiniel Pérez, nascido a 6 de abril de 1999 em Santa Clara (Cuba), é "um livro unitário e rítmico, um poema em partes, com grande fluência expressiva e desejo de inovação", segundo o júri, presidido por Víctor García de la Concha e constituído por Gioconda Belli, Antonio Colinas, Aurora Egido, Margo Glantz, Juan Antonio González Iglesias, Carme Riera, Jaime Siles, Luis Antonio de Villena e Orlando Mondragón, vencedor da edição anterior.

Como Jaime Siles explicou, "Las sílabas y el cuerpo" é uma obra "surpreendente pela unidade dos seus 10 longos movimentos, mantidos num tom admirável, tipo de verso e temperatura da linguagem".

É um grande livro de amor, brilhantemente escrito e expresso com um sistema próximo do verso de Saint-John Perse, e não do de Vicente Aleixandre, e no qual existe uma "vontade ousada de inovar, muito bem pensada e resolvida", acrescentou.

Aurora Egido considerou também que o livro "é uma encarnação da poesia em movimento, com imagens poéticas numa sequência muito bem sucedida, onde a canção e a história estão muito bem entrelaçadas e elaboradas. É um poema de amor longo e completo, com uma prosa poética brilhante".

Foram apresentadas 1.976 entradas de 38 países, das quais 35 foram pré-selecionadas. Cerca de 48,3% vieram da América Latina, com o México, Argentina e Colômbia, a liderarem as candidaturas por esta ordem, como os países com as taxas de participação mais elevadas.

Em Espanha, as províncias com maior número de inscrições foram Madrid, Barcelona, Valência e Sevilha.

Cerca de 22% dos autores que participaram no concurso deste ano têm menos de 33 anos de idade.

A Fundación Loewe tem vindo a atribuir este prémio internacional, o mais importante fora do âmbito institucional, todos os anos desde 1987, a fim de promover a qualidade da criação poética na língua castelhana.

O prémio é atribuído a uma obra inédita de pelo menos 300 versos e um galardão de Creación Joven de 8.000 euros é atribuído a um autor até aos 33 anos de idade quando o primeiro é atribuído a um poeta mais velho, o que não foi o caso nesta edição.

A cerimónia de entrega dos prémios e apresentação do livro, que será publicado como parte da coleção Visor de Poesía, terá lugar em março de 2023. 

© EFE 2023. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.