×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
16 de mai. de 2017
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Ghesquière, Gvasalia e outros falam no primeiro dia da FT Luxury Summit

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
16 de mai. de 2017

De 15 a 16 de maio, Lisboa se converteu na capital europeia do luxo. O evento Financial Times Luxury Summit reuniu mais de 400 profissionais do setor na capital portuguesa, desde diretores de grandes grupos e marcas prestigiosas, a pequenas e jovens empresas em busca de sociedade.


Nicolas Ghesquière ao vivo do Japão - FT Luxury Summit - FT Luxury Summit


O evento foi inaugurado pelo Primeiro Ministro de Portugal, Antonio Costa, que destacou a importância do setor para o futuro do Velho Continente. “O luxo é uma oportunidade para toda a Europa", explicou. “Os europeus são os únicos capazes de combinar criatividade e tradição em um nível tão elevado”.  E em uma chamada para os investidores, Antonio Costa foi preciso: "Portugal tem mantido a sua tradição de abertura para o mundo"

De fato, com o Brexit e Donald Trump, e o temor de um presidente francês de extrema direita, foram inúmeras as preocupações para o setor no início deste ano. Para o ex-presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, a França, devido à sua posição central, oferece uma grande oportunidade... sem que isso implique em um êxodo significativo das empresas de Londres à Paris. "Londres continua tendo uma vantagem competitiva e possui a experiência no comércio com América e Ásia, algo que os outros países não têm˜, explicou o agora presidente da Goldman Sachs.

Um dos destaques do primeiro dia foi, sem dúvida, a presença do estilista da Louis Vuitton, Nicolas Ghesquière, por videoconferência, diretamente do Japão, onde havia acabado de apresentar o seu desfile Cruise 2018. Esta foi a oportunidade para o diretor artístico da moda feminina da Louis Vuitton ressaltar como a indústria do luxo tem evoluído, especialmente devido ao impacto das mídias sociais e dos tapetes vermelhos, como é caso do Festival de Cinema de Cannes, que acontece de 17 a 28 de maio, na cidade da Riviera Francesa. “Há alguns anos o olhar sobre o luxo era muito conservador, tinha reações imediatas e muito hostis. O clima mudou˜’, comentou.


Jonathan Anderson - FT Luxury Summit


Dentre as principais inovações da última década, uma é particularmente expressiva para Ghesquière: “Acho muito interessante que todas as fibras artificiais se tornaram agora, de alguma maneira, materiais nobres. Muitos estilistas as utilizam extensivamente, sobretudo aqui no Japão”. Perguntado pela FashionNetwork sobre a sua percepção sobre o see-now Buy-now, o estilista respondeu sorridente e direto: ”Os resultados são altamente questionáveis (...) deve-se deixar claro aos consumidores o motivo pelo qual eles devem esperar para comprar após os desfiles”.

Alguns reclamam que os desfiles estão sofrendo perda de velocidade, mas eles “mais cruciais do que nunca”, de acordo com diretor criativo da Loewe e da J.W.Anderson, Jonathan Anderson. “Hoje, quando você faz um desfile, as pessoas falam sobre o trajeto para chegar, a espera, o pós-desfile…Isso criou um “mindmap” em torno do espetáculo que dura pelo menos uma hora. E uma hora na moda é muito tempo”. O estilista disse estar em uma ˜cruzada˜ contra o luxo” e comentou que o desafio atual é fazer com que uma marca seja duradoura e se mantenha em longo prazo, frente a um consumidor que se cansa rápido demais”.


Federico Marchetti, CEO da Yoox Net-A-PorterFT Luxury Summit - FT Luxury Summit



É fácil entender o consumidor contemporâneo, segundo Federico Marchetti, CEO da Yoox Net-a-Porter.: "Seja o consumidor!" é a sua solução. O executivo, que enfatizou a importância da inovação para o sucesso do seu e-commerce, disse que isso somente tem valor se beneficia o consumidor. A uma pergunta feita pela FashionNetwork sobre sua percepção sobre o site Sèvres 24 da LVMH, Marchetti comentou: “Existe espaço para os concorrentes; este é um mercado com rápido crescimento. Especialmente para um bom competidor como a LVMH, desde que leve à sério uma aproximação da imagem e dos preços”.

Outro convidado altamente esperado no primeiro dia foi o CEO da Vêtements, Guram Gvasalia, que viajou de sua sede, recentemente transferida de Paris à Suíça. "Para descrever a moda, é preciso vê-la de fora", disse o diretor, que acredita que “é possível estar outside sem ser um outsider”. Depois de arrancar o riso dos participantes ao aconselhar as marcas a eliminarem sua área de merchandising, Gvasalia explicou que a Vêtements não tem mais vocação para crescimento, mas está abrindo portas para novas linhas de produtos. "Nosso modelo se encaixa em nosso DNA: não necessariamente funcionaria trabalhar com outros.”, declarou.

Na terça-feira, o segundo dia da FT Luxury Summit incluiu a apresentação de Jean-François Palus (Kering), José Nevec (Farfetch), Elio Milantoni (Deloitte), Cyrille Vigneron (Cartier) e François-Henry Bennahmias (Audemars Piguet).
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.