Gigantes do retalho americano caem no ranking mundial dos maiores retalhistas, enquanto marcas de fast fashion e roupas desportivas sobem

O ranking "Global Powers of Retailing" da Deloitte de 2018, que lista os 250 maiores retalhistas globais, mostra que os gigantes do retalho americano estão a perder o seu controlo no mercado internacional, enquanto o comércio eletrónico, as marcas europeias de fast fashion e roupas desportivas estão a ganhar terreno.


A Gap está entre as grandes marcas americanas que caíram no ranking este ano, enquanto as marcas de roupas desportivas e activewear seguem em ascensão - Instagram: @gap

As grandes lojas de departamento dos Estados Unidos estão entre as que caíram no ranking deste ano: a Macy's caiu duas posições para a 37ª, enquanto a Sears caiu da 39ª, em 2017, para 45ª. A American Eagle Outfitters e a Abercrombie & Fitch, que já foram poderosas um dia, nem sequer constam no ranking dos 250 melhores retalhistas globais.
 
A Gap, que até há pouco tempo era a maior empresa de moda do mundo, também foi ultrapassada pelo grupo japonês Fast Retailing, a empresa-mãe da Uniqlo, que a derrubou para o 61º lugar.

O ranking de 2018 mostra um forte progresso para as principais marcas europeias de fast fashion, como a H&M, que este ano ultrapassou a Sears para ocupar o 39º lugar, e a Inditex, que agora está no 38º lugar.
 
A Nordstrom conseguiu escalar três pontos para o 65º lugar, ultrapassou o retalhista britânico Marks & Spencer, e a L Brands subiu do 78º lugar em 2017 para o 76º este ano. A Kohl's também conseguiu manter seu 52º lugar de 2017 por mais um ano.
 
O maior vencedor de 2018, no entanto, deve ter sido a cadeia de lojas de departamento canadiana Hudson's Bay, que subiu do 114º lugar no ano passado para o 87º este ano.
 
A Nike também conseguiu um aumento sólido, subindo 14 posições para a 109ª.  O ranking mostrou progressos geralmente positivos para marcas de roupas desportivas, com a ascensão da Dick's Sporting Goods, Foot Locker e Decathlon.
 
No que se tornou um resultado um pouco previsível, os retalhistas online pure-player também tiveram bom desempenho. A Amazon consolidou o seu lugar entre os Top 10 este ano, subindo quatro posições para o 6º lugar, enquanto a chinesa JD.com subiu oito posições para o 28º lugar.
 
O relatório da Deloitte confirma algumas das movimentações mais notáveis do retalho, que têm vindo a agitar o setor. Conforme podemos observar pelo ranking, diante da oposição implacável dos retalhistas online, shoppings, grandes lojas de departamentos e outros retalhistas físicos tradicionais estão cada vez mais pressionados a diversificar a sua oferta e seguir a nova tendência de retalho experiencial para atrair clientes às suas lojas.
 
A categoria de roupa desportiva e activewear, por outro lado, está a aumentar cada vez mais em diversas marcas, como a Amazon, e a marca britânica de lingerie Ann Summers que, nos últimos meses, lançou algumas coleções na tentativa de lucrar com o mercado de fitness.
 
O ranking "Global Powers of Retailing" da Deloitte foi elaborado a partir dos dados das vendas do retalho de 2016.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosModa - CalçadosDesportoDistribuiçãoNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER