×
298
Fashion Jobs
ADIDAS
Procurement Manager (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sap sd (Afs & s4/Hana) (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Scm Products - Product Supply Primary Data (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Supply Chain Management Products - Tms Integration (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Planning Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Project Manager Supply Chain (M/F/D)
Efetivo · Porto
SALSA
Marketplaces Account Manager - Oportunidade de Contrubuir Para a Internacionalização da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Gbs HR Services - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Apo/Ibp (Snp) Consultant (F/M/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Hcm/sf Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sac/bw-ip/Fico (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Consultant - Sac/bw-ip/Fico (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Controlling & Reporting - Brand Operating Overheads (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Controlling & Reporting - Group Functions Controlling Legal (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Controlling & Reporting - Marketing Working Budget (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
FOREO
Marketing Manager - Portugal
Efetivo · Lisbon
SALSA
Web Designer - Oportunidade de Criar o Que Ainda Não se Fez
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
AMERICAN VINTAGE
Store Manager (M/W) New Opening
Efetivo · FARO
AMERICAN VINTAGE
Store Manager (M/W) New Opening
Efetivo · FARO
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
10 de mar. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Groupe Galeries Lafayette coloca Philippe Berlan à frente da La Redoute

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
10 de mar. de 2022

Esta é uma grande mudança para a retalhista francesa La Redoute. Os seus co-presidentes, Nathalie Balla e Éric Courteille, estão prestes a abandonar a empresa. Ao assumir a histórica especialista em compras caseiras fundada em 1837, no ano de 2014 – uma altura em que se encontrava em perdição – a dupla deu a volta à empresa do norte, tornando-a um forte player no comércio eletrónico francês.


Philippe Berlan, Philippe Houzé e Nicolas Houzé - Groupe Galeries Lafayette


A 9 de março, o Groupe Galeries Lafayette, que em 2017 tinha adquirido 51% das ações da empresa, anunciou que "passará a deter 100% da empresa nos próximos meses". Uma transição, planeada e esperada em 2021, que é portanto acompanhada pela partida dos dois co-presidentes. A retalhista eletrónica reivindica agora uma presença em cerca de 20 países, mas também uma presença física em França no mundo do lar com 12 pontos de venda e cerca de 50 corners na rede Galeries Lafayette. Um navio com um volume de negócios de mais de mil milhões de euros em 2021 e que será agora gerido por Philippe Berlan, que foi vice-diretor-geral, na sequência da decisão do conselho fiscal da empresa, presidida por Philippe Houzé.
 
Uma escolha de continuidade desde que o gestor, antigo diretor geral da Petit Bateau, o grupo Casino et de Lancel, evoluindo desde 2012 dentro da empresa, experimentou assim os anos delicados e depois o renascimento da mesma. "A qualidade das equipas e a solidez do modelo permitem-me assumir estas novas funções com orgulho e entusiasmo. Esta mudança faz parte da continuidade, uma vez que continuaremos a implementar o plano estratégico de 2025 e as suas grandes ambições para a nossa empresa", diz o líder, que saúda os dois antigos co-presidentes.

"Estamos orgulhosos dos progressos que fizemos nos últimos quatro anos com todos os funcionários da La Redoute. Gostaríamos de agradecer sinceramente a Nathalie Balla e Eric Courteille pelo seu empenho durante a nossa aventura, e desejar-lhes o melhor", explica Philippe Houzé num comunicado de imprensa. “Estamos também muito satisfeitos por Philippe Berlan se tornar diretor executivo. O seu excelente conhecimento da empresa, que contribuiu ativamente para a transformação, será um ativo valioso na continuação da trajetória deste líder francês do comércio eletrónico para os anos vindouros”.
 
A trajetória é de facto lisonjeira para a marca La Redoute. Vendida pela Kering a estes dois executivos e aos seus empregados em 2014 por um euro simbólico (e depois de ter sofrido centenas de milhões em perdas no início da década), o catálogo generalista desapareceu para se tornar um site de comércio eletrónico centrado no pronto-a-vestir e na casa. Durante os primeiros anos, as perdas foram registadas, os serviços e a logística ajustaram-se às normas do sector, não sem alguns problemas. No entanto, o volume de negócios aumentou para cerca de 700 milhões de euros nos primeiros anos e o ímpeto chegou, apesar das perdas que ainda se verificavam. Atualmente, a empresa afirma que 30% do seu negócio é exportado e 70% é gerado pelo sector da moda.


Nathalie Balla e Eric Courteille deixam a empresa - La Redoute


"Estamos encantados com a estratégia ofensiva e ambiciosa de marketing implementada para transformar com sucesso a La Redoute. Gostaríamos de agradecer a todos os nossos empregados pelo seu empenho inabalável. Juntos, temos sido capazes de desenvolver as nossas atividades com agilidade, respeitando ao mesmo tempo os valores que nos são caros. A La Redoute está a ir bem, está no bom caminho", disseram Nathalie Balla e Eric Courteille num comunicado de imprensa. “É com a satisfação de um trabalho bem feito que estamos a entregar as rédeas. Estamos a fazê-lo na altura certa, deixando a empresa em boas mãos: com um acionista sólido, e Philippe Berlan à cabeça, que depois de ter participado em grande parte no seu sucesso, será capaz de enfrentar os desafios de amanhã”.
 
O caminho tinha sido anunciado quando o Groupe Galeries Lafayette adquiriu o seu capital. A combinação do know-how das equipas da Galeries Lafayette e La Redoute foi para permitir o crescimento das atividades dos dois players. Na altura, o grupo reivindicou vendas de 4,5 mil milhões de euros e pretendia atingir 5,5 mil milhões de euros até ao final de 2020. Com o enorme abrandamento dos grandes armazéns devido à crise do COVID-19, o grupo francês, propriedade da família Houzé, reivindica vendas de 4,5 mil milhões de euros. Com a ascensão do digital, a perícia de La Redoute parece ainda mais crucial para apoiar a transição do seu modelo.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.