×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
15 de set. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Grupo H&M vê vendas trimestrais recuperarem 9%

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
15 de set. de 2021

Embora a gigante da moda sueca registe uma melhoria definitiva na sua atividade, esta ainda não recuperou o seu nível pré-pandemia, ainda penalizada por restrições devido à Covid-19 e afetada por uma queda no tráfego. As suas vendas no terceiro trimestre aumentaram 9% em relação a 2020, atingindo 55,6 mil milhões de coroas (ou 5,47 mil milhões de euros), o que corresponde a um aumento de 14% em moedas locais.


Coleção outono-inverno 2021/22 - H&M


O volume de negócios do grupo proprietário das marcas H&M, Monki, & other stories e Arket entre o início de junho e o final de agosto caiu 11% em comparação com o mesmo período de 2019.
 
Um balanço que acaba por ficar abaixo das expectativas dos analistas. Na bolsa de valores de Estocolmo, as ações da H&M caíram 3,25% na manhã, mostrando uma das maiores quedas no Stoxx 600.

O grupo afirma registar variações consideráveis entre os mercados. “Os confinamentos e as restrições continuaram a atrapalhar o desenvolvimento, especialmente na Ásia. No entanto, com a flexibilização das restrições, as vendas em loja aumentaram em diversos mercados, enquanto as vendas online continuaram a aumentar”, comentou o grupo, que especifica que excluindo a Ásia e a Oceania , as vendas em moedas locais voltaram ao nível registado antes da crise.
 
Uma centena de lojas (de um total de 4850 pontos de venda) permaneciam temporariamente fechadas no final do trimestre, contra cerca de 180 no início, com restrições na maioria dos mercados a levarem a uma diminuição do movimento, diz a gigante da moda, que por outro lado se felicita por ter aumentado as "vendas a preço total de vendas e alcançado um bom controlo dos custos".
 
Importa lembrar que o grupo H&M, que deverá divulgar os seus resultados completos do terceiro trimestre a 30 de setembro, voltou a lucrar no segundo trimestre (abril a junho), com as vendas a subirem 4% em relação a 2019. Mas, o crescimento desacelerou em direção ao final deste trimestre.
 
(Com Reuters

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.