×
307
Fashion Jobs
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de dez. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Gucci encena show de moda masculina em Milão no mês de janeiro

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de dez. de 2022

A Gucci vai encenar um desfile dedicado à moda masculina em Milão no mês de janeiro, que marca a primeira grande mudança de estratégia na maison desde a partida de Alessandro Michele na semana passada.


Gucci - primavera-verão 2023 - Womenswear - Milan - © PixelFormula


O desfile marca a primeira ocasião desde antes da pandemia que a maison florentina encenou um show de roupa masculina apenas de passerelle. Desde então, sob a direção de Michele, a maison tinha apresentado coleções em coautoria sobre o planeta, desde Puglia até Los Angeles.
 
O desfile de moda masculina da Gucci será encenado no início da tarde de sexta-feira (13 de janeiro), dia de abertura do Milano Uomo Moda, a época bianual da passerelle de moda masculina italiana realizada em Milão. 

Num dia movimentado na capital da moda italiana, o desfile da Gucci será seguido pela Zegna e DSquared2 com uma coleção mista apresentada durante a noite. A próxima estação de moda masculina de Milão decorrerá durante cinco dias, de 13 a 17 de janeiro, com a revelação das coleções para a estação de outono-inverno 2023/24.
 
"É muito boa notícia para a temporada que a Gucci está de regresso a Milão, com desfiles separados de homens e mulheres. É uma espécie de regresso", entusiasmou-se a dizer Carlo Capasa, presidente da Camera Nazionale della Moda Italiana, o órgão dirigente da moda italiana.
 
"O desfile da Gucci será provavelmente realizado no início da tarde de sexta-feira, e assim será o desfile de abertura da estação", acrescentou Capasa.
 
Um porta-voz da Gucci confirmou à Fashion Network que irá realizar o desfile de abertura da temporada de Milão no dia 13 de janeiro.
 
A Camera Nazionale della Moda Italiana ainda não divulgou a agenda oficial dos desfiles, mas cerca de 40 marcas irão encenar desfiles em passerelle, incluindo marcas como a Giorgio Armani, Dolce & Gabbana, Versace, Prada, Moschino e Etro.
 
Ainda não está claro quem é que a Gucci irá alegar ter realmente desenhado as roupas que irá exibir em Milão no próximo mês. Ou se algum estilista, ou equipa, irá agradecer os aplausos com a habitual vénia no final do desfile. A Gucci anunciou oficialmente a partida de Michele no dia 23 de novembro. Até agora, a maison ainda não nomeou um sucessor.
 
Os meios de comunicação italianos da moda falaram de uma série de nomes como possíveis sucessores, embora, segundo Capasa, em conversas com a Gucci, tenham repetido insistentemente que a próxima coleção seria criada por uma equipa de design interna.
 
Alessandro Michele e o CEO da maison, Marco Bizzarri, são entendidos como tendo estado em loggerheads no último mês de mandato do designer. Já em outubro, os observadores da indústria ficaram atónitos quando Jean-Marc Duplaix, o CFO da Kering, o conglomerado francês de luxo que controla a Gucci, anunciou aos analistas que a empresa tinha criado o cargo de diretor de Studio, confiado a um membro sénior que há muito trabalhava com Michele. As observações foram amplamente vistas como prejudicando publicamente Michele, sob cuja direção a Gucci tinha crescido exponencialmente durante sete anos, triplicando as receitas anuais para mais de 9 mil milhões de euros.
  
Anteriormente, durante o mandato de Michele, a Gucci tinha reduzido a frequência dos seus desfiles em passerelle. Na primavera de 2020, o diretor criativo lançou uma série de notas aforísticas nas quais insistia na necessidade de a marca rejeitar "o ritual desgastado das estações e shows para recuperar uma nova cadência".
 
Durante a discussão com os analistas, a Kering indicou que poderia aumentar a taxa de desfiles para até seis por ano. Em contraste, tanto Michele como a pandemia conduziram a um calendário radicalmente reduzido.
 
A decisão de encenar um desfile de moda masculina na época oficial de Milão indica a renovação de uma abordagem muito mais empresarial, e a primeira impressão da nova diretora geral, Maria Cristina Lomanto, que juntou-se à Gucci esta primavera, após passagens por Roger Vivier, Miu Miu e Prada.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.