×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
23 de nov de 2020
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

GucciFest 2020: vencedores e vencidos

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
23 de nov de 2020

Onde estavam Ben Hecht ou Federico Fellini quando foram precisos no domingo à noite? A série de televisão online da Gucci, cujo último episódio estreou no domingo (22 de novembro), não colocou exatamente em chamas o mundo cinematográfico. No entanto, a generosa decisão da marca de acolher uma série de 15 filmes de moda de jovens designers num mini festival, GucciFest, revelou-se uma celebração heróica da próxima geração de talentos.

Episode 7: ‘A Nightly Walk' | Ouverture Of Something That Never Ended


Intitulada Ouverture of Something That Never Ended, a série de sete partes da Gucci foi, no entanto, em última análise, uma lição de que se pode atirar estrelas de rock e cinema suficientes para o ecrã  Billie Eilish, Harry Styles, e Florence Welch, por exemplo  mas não se pode fazer o conceito colar.

Realizada conjuntamente pelo director criativo da Gucci Alessandro Michele e Gus Van Sant, a série  episódios de sucesso foram lançados todas as noites às 21 horas  seguiu uma semana na vida de um personagem interpretado pela atriz italiana Silvia Calderoni enquanto vagueava por Roma; de casa para o café, para os correios, para a loja de velharias, que acabam por vender apenas Gucci. Uma visão surrealista onde bandas de rock tocam subitamente ao vivo no seu quarto, durante o cappuccino matinal. Cada personagem, vestindo a última coleção da Gucci.


Advent | Stefan Cooke | GucciFest Emerging Designer Fashion Film


No final, o momento mais memorável foi Eilish  vestida com uma camisola azul do fim do mundo e boné plano numa Los Angeles suburbana  pois é perseguida à volta de uma piscina por dois cães robóticos amarelos da Boston Dynamics. Do tipo que Singapura empregou para encorajar um maior distanciamento social na pandemia. Na terra da Gucci, estes cães até posam num solário. Muito francamente, ver pessoas despreocupadas e belas experimentarem roupas numa loja vintage, fazerem compras com canções folclóricas sagradas russas, não faz com que a televisão se apodere. Muito pelo contrário.

A série televisiva não foi ajudada por nenhum diálogo verdadeiramente modesto, com alguns dos poucos comentários notáveis a serem feitos numa nota incisiva pelo veterano crítico de arte italiano Achille Bonito Oliva, num telefonema para a Styles.

"A moda veste a humanidade. A arte descalça-a. E a música é uma massagem aos músculos atrofiados da consciência coletiva. Vivemos numa era de contaminação. Uma era marcada por uma certa falta de fé no nosso futuro. Mas uma era em que a consciência do presente é viva", expõe o crítico, a partir de um antigo telemóvel.

A GucciFest, por outro lado, teve muitos momentos múltiplos de inspiração. Cada filme com o logotipo da Gucci no canto inferior direito. Classificamo-los da seguinte forma.


Jord, luft, eld, vatten | Rave Review | GucciFest Emerging Designer Fashion Film


Se se tivesse de escolher um vencedor, então era a herança de Stefan Cooke num vídeo chique. O vídeo estrelou tanto as suas filmagens de arquivo como a excelente coleção. Imagens a preto e branco de glândulas das Highlands, catedrais góticas, castelos medievais e paisagens marinhas do norte que recordavam o pano de fundo da série The Crown. Todos justapostos por uma grande coleção de dois tons de tops de cortes especiais com auscultadores a condizer; casacos pied-de-poule com bolsos de aba diagonal; leggings de retalhos postiços; Qui êtes-vous Polly Maggoo em camisas gráficas e coletes arrojados ou camisas brancas impecáveis de colarinho redondo. Dirigido por Eddie Whelan, estilizado por Alice Goddard e intitulado Advent, este filme "suavemente subversivo à manipulação têxtil" captou brilhantemente a essência desta marca de roupa masculina sediada em Londres e fundada em 2017 pelos graduados da Central Saint Martin, Stefan Cooke e Jake Burt.

Podia reclamar o primeiro prémio com Collina Strada, cujo alucinante jogo de vídeo 3D Collina Land levou o elenco numa viagem virtual por horizontes intergaláticos repletos de dragões, dinossauros e criaturas aquáticas. Quem quer que seja o realizador Charlie Engman, tem a certeza de um grande futuro. Os mini avatares de combate também tiveram o seu momento no vídeo de moda de jogo de Mowalola Ogunlesi. E ainda se teve de admirar o vídeo confessional de Bianca Saunders, com as volumosas roupas e gentis auto-exames feitos para momentos de encanto.

Dirigido por Conor Clinch e intitulado The Palace of Kings, o clip do designer Jordan Luca foi ambientado em Whitechapel. Um modelo uber hirsute com um afro maluco e incisivos de Drácula, marchando em redor de locais após a meia-noite de ruas húmidas e parques de erva. O que, infelizmente, tornou difícil ver realmente as roupas. O que era visível eram talhas de alfaiate de cavalheiros roqueiros; camisas de algodão para clubes; blazers de couro ceroso.

Collina Land | Collina Strada | GucciFest Emerging Designer Fashion Film


Outros para impressionar foram Rui com um conto escuramente poético de coelho, pardal e pangolim a migrar à volta de uma piscina e apartamento  com modelos adolescentes vestidos com leotards cortadas em pedaços. Ou Shanel Campbell, cuja mistura de imagens de frescura caribenha, agit-prop e Josephine Baker na bayou fez para uma vista de moda ousada.

E a Rave Review. O vídeo da marca sueca de upcycling foi apertado, apenas 1,45 minutos. Isso deixou o público faminto por mais dos seus casacos compostos, de cor ácida, uber exuberantes e macacões. A moda da fantasia no seu melhor; e uma grande descoberta, mais um motivo para agradecer à Gucci por acolher generosamente este conceito inovador, mesmo que a sua própria série não esteja a ganhar nenhum prémio Emmy.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.