×
284
Fashion Jobs
ADIDAS
Financial Controller & Reporting Senior Specialist (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
IT Service Desk Specialist
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
JD SPORT
Demand Planner Retail
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Iberia HR Business Partner
Efetivo - CLT · Madrid
ADIDAS
HR Controlling & Data Analytics Senior Specialist (m/ f
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Manager - Project Management & Strategy
Efetivo - CLT · Porto
 GRUPO CONSTANT SERVIÇOS EMPRESARIAIS, LDA.
Area Manager - Retalho/Moda (m/f) - Lisboa
Efetivo - CLT · Lisboa
ADIDAS
Sales Associate Centro Comercial Norteshopping
Efetivo - CLT · Porto
SALSA
IT Sap Specialist fi/co e HR
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Gbs Senior Buying Specialist (m/ f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
General Ledger Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
H&M
Senior Lawyer - Expansion Department
Efetivo - CLT · Barcelone
H&M
Print Design Assistant - h&m Home
Efetivo - CLT · Estocolmo
LION OF PORCHES
Editor de Imagem/Vídeo (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
LION OF PORCHES
Editor de Imagem (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
BIMBA Y LOLA
Vendedores - Coimbra
Trainee · COÍMBRA
ZILIAN
Sales Assistant
Efetivo - CLT · LISBOA
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- Guimarães Shopping (m, f)
Efetivo - CLT · Guimarães
SOPHIA KAH
Comercial
Efetivo - CLT · FELGUEIRAS
BOTTEGA VENETA
Sales Assistant
Trabalho temporário · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 30h - CDD 6 Meses - Eci Lisboa H/F
Trainee · LISBONNE
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- Arrábida Shopping - Vila Nova de Gaia (m, f)
Efetivo - CLT · Porto

H&M entra no mercado do aluguer, levando a circularidade a um novo nível

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 29 de nov de 2019
Tempo de leitura
access_time 6 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

O último player a entrar no mercado do aluguer de roupas, em rápido desenvolvimento, é a H&M, com uma coleção de roupa de noite de arquivo da gigante sueca da fast fashion.


A última concept store H&M Sergels Torg em Estocolmo, Suécia - Fotografia: H&M


A rainha da moda urbana apresentou o seu surpreendente novo conceito esta semana na sua mais recente concept store, a H&M Sergels Torg, que recebeu o nome do distrito comercial central de Estocolmo, onde está localizada. Construída cuidadosamente com uma série de ideias inovadoras e modelos de negócios, a loja abriu na sexta-feira, 29 de novembro, pela manhã.
 
Com uma variação sutil das típicas lojas da H&M, não luxuosas, esta nova flagship store tem um estilo loft com cores suaves, design de interiores modular sem paredes e até uma segunda parte de compras: um Beauty Bar. Tal como a loja, o Beauty Bar abrirá às 7h30 da manhã, o que permitirá que as pessoas façam manicures ou maquilhagem a caminho do trabalho ou até mesmo peçam um cappuccino num coffee truck interno.

Embora a grande novidade tenha sido o H&M Rental Service (serviço de aluguer H&M), uma seleção de cerca de 50 vestidos, vestidos de noiva e tops de noite exóticos que os membros da H&M podem alugar durante uma semana por 350 coroas suecas (35 euros) cada um, como parte de um programa de fidelização de clientes. Os tamanhos variam de 34 a 48, para peças de vestuário cujo preço original estava entre 599 coroas (60 euros) e 3000 coroas (300 euros).

“Começámos o nosso projeto de circularidade há três anos. Acreditamos no aluguer de peças exclusivas e ocasionais. Escolhemos estas peças precisamente porque são artigos muito caros que costumam ser usados apenas uma vez”, explicou o francês Pascal Brun, que é reponsável de sustentabilidade da H&M.


Interior da loja - Fotografia: H&M


Os membros podem reservar horários para experimentar roupa com estilistas pessoais internos, podendo alugar até três peças por semana. Todas as peças de vestuário são feitas em materiais sustentáveis e pertencem às coleções Conscious Exclusive da H&M de 2012 a 2019. Inicialmente, a H&M encontrou muitas das peças na empresa.
 
"Estou muito orgulhoso por estas peças ainda serem tão modernas. Além disso, por serem moda exclusiva e consciente, são feitas com materiais como algodão orgânico ou lixo reciclado do oceano", disse Maria Östblom, designer principal da H&M.
 
Entre os looks estão blusas de seda com decote halter com estampados de chinoiserie, vestidos dos anos 20 de renda crua com aberturas reveladoras e algumas blusas marcantes feitas de fibras de renda recicladas.

O plano é testar este conceito durante três meses, após os quais poderá ser estendido a outras lojas, acrescentando também as divisões de moda masculina e acessórios. “Estar em 100, 200 ou 500 lojas? Para ser sincero, é muito difícil dizer”, admitiu Brun.
 
Atualmente, a H&M conta com 4433 lojas em todo o mundo, em 71 países, com mais 145 abertas este ano. O seu lucro líquido é de 1200 milhões de euros, com receita de 20,3 mil milhões de euros.


Um look que pode ser alugado - Fotografia: H&M


Com negócios de aluguer como Rent The Runway, Le Tote e Armoire, que estão em pleno crescimento, e a previsão de que o negócio de aluguer online terá uma rápida expansão, a H&M não ficou para trás. A empresa pagou cerca de 25 milhões de euros por uma participação de 72% na plataforma de revenda Sellpy, que recolhe roupas indesejadas dos clientes, para expandir o seu negócios de segunda mão. As duas empresas ainda não estão integradas, mas Brun explicou que a H&M está a considerar oferecer aos seus clientes uma carteira da Sellpy para avaliar a possibilidade de estes clientes venderem as suas peças em segunda mão online através de uma plataforma H&M.
 
Com a fast fashion escrutinada nas redes sociais globais devido aos danos ecológicos causados por muitas das suas fábricas, as casas de moda têm feito um esforço para responder às preocupações e reclamações dos consumidores. Juntamente com cerca de 30 importantes marcas de moda e luxo, a H&M aderiu ao Fashion Pact, liderado pela Kering, anunciado em agosto, cujo objetivo é limitar o impacto da indústria no clima, na biodiversidade e nos oceanos. Embora o grupo sueco já estivesse bastante ocupado ecologicamente.

A nova concept store de 3200 metros quadrados inclui um grande contentor de reciclagem de cartão cinzento, que está instalado na maioria das suas lojas. Em 2019, irá recolher 25 mil toneladas de roupa usada, o equivalente a 150 milhões de t-shirts.
 
Toda esta moda e tecidos supérfluos são enviados ao seu parceiro I: Collect, de Berlim, que os recicla de três maneiras. Ou são vendidos em lojas de segunda mão, ou são triturados e colocados em bancos de carro ou sofás na indústria de mobiliário para a casa, ou são reciclados em fibras que se tornarão roupas novas.


O Beauty Bar da loja - Fotografia: H&M


No último andar, o novo Beauty Bar, feito em colaboração com a Dashl, apresenta um acabamento rosa, acessórios de iluminação de cobre e cadeiras de veludo lilás, com esteticistas que oferecem de manicures a extensões de pestanas. A loja está situada em Drottninggatan, uma rua comercial pedonal central, repleta de outras marcas da H&M: & Other Stories, Cos, Monki, Weekday, AFound (uma cadeia de outlets) e Arket, uma elegante concept store localizada entre a Muji e a Colette. No total, o grupo conta com cerca de 5000 lojas em todo o mundo.
 
Duas jovens costureiras preparavam-se para a inauguração, exibindo bordados da H&M Take Care. Lançado em França em 2018, este serviço de reparações está disponível no Reino Unido, Áustria, Holanda e Escandinávia.
 
“Temos reações diferentes em cada país. Na Suécia, tendem a gostar de reparações, adicionando um remendo ou um fecho-éclair, em França gostam de personalizar, enquanto na Holanda querem refazer completamente o look da peça”, diz Brun rindo.

Os clientes também podem pagar numa caixa expresso, sem equipa de vendas nas caixas eletrónicas. Usando a aplicação H&M, recebem uma fatura eletronicamente, mas só serão cobrados pela compra 30 dias depois. A extensa loja conta apenas com iluminação LED de baixa energia e é feita com pisos e prateleiras de tijoleira. A H&M abastece-se essencialmente de energia renovável, uma vez que 96% da sua energia provém de fontes renováveis. O que significa que são fontes de combustão não fósseis, como energia eólica, solar e hidrelétrica, mas também com energia nuclear.

Com a aplicação H&M, agora os compradores podem digitalizar etiquetas Conscious Exclusive, que revelam a composição exata de cada peça, o seu fornecedor de tecidos e o nome e endereço da fábrica que produziu o artigo.
 
“Fomos a primeira empresa a divulgar todos os nossos fornecedores no nosso site. Agora fazemo-lo por produto. A única coisa que ainda não conseguimos controlar é o algodão. Conhecemos a maioria dos nossos produtores de algodão, mas há um elemento que mistura tudo: a fiação. Mas, estamos a trabalhar numa etiqueta de ADN para cada quinta. Sempre acreditámos na transparência”, disse o responsável de sustentabilidade, Brun, que passou 15 anos na Ásia com a H&M como líder de sustentabilidade para a produção, coordenando uma equipa de 150 pessoas.

"Esta é, de longe, a maior organização de sustentabilidade do setor do retalho", concluiu.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.