Heimat Atlántica, de artesanato galego a objeto de desejo do luxo internacional

Seria necessário remontar à Idade do Bronze para chegar às origens dos celtas, povo do qual os portugueses e galegos do noroeste Península Ibérica herdaram a cultura castreja. E, com ela, um grande savoir faire artesanal que sobreviveu até aos dias de hoje, como as icónicas cestas que a empreendedora Montserrat Álvarez converteu na marca registada da sua marca de acessórios artesanais de luxo Heimat Atlántica.


Tote Bag Heimat Atlántica x Comme des Garçons - Heimat Atlántica

Foi no final de 2016 que esta galega de 33 anos decidiu lançar a sua própria marca de acessórios made in Portugal, com o objetivo de "criar uma comunidade única de ateliers de artesanato para tentar estabelecer uma indústria do 'feito à mão'". Sediada em Paris após ter terminado os seus estudos em História da Arquitetura na Sorbonne, Montserrat Álvarez abandonou o seu cargo no estúdio de design Ronan & Erwan Bouroullec para se concentrar num projeto 100% made in Europa e com ares da costa atlântica, com o qual quer "modernizar e dar a conhecer o savoir faire artesanal dos grupos de mulheres da região".

Para sublinhar esse caráter único, são produzidas 500 unidades de cada modelo de carteira. 'Talisman bags' foi a sua primeira coleção de cestas coloridas combinadas com talismãs de cerâmica de Sargadelos (originária de Lugo), que lhe conquistou a presença na concept store parisiense Colette. No ano passado, a Heimat Atlántica lançou as “Shell bags”, decoradas com conchas recolhidas pelas “colareiras”, artesãs galegas dedicadas à arte. Todas apresentam um interior coberto com couro de Ubrique e os preços variam entre 275 e 498 euros. Nos últimos meses, a marca lançou um modelo exclusivo em colaboração com a japonesa Comme des Garçons e lançou as suas primeiras peças de bijuteria, também decoradas com conchas atlânticas.


Modelo de carteira decorada com conchas recolhidas na costa atlântica - Heimat Atlántica

Em linha com a crescente tendência da slow fashion e da moda sustentável, a marca não tardou a suscitar o interesse dos principais players do luxo. Foi o caso da empresária Lauren Santo Domingo, diretora da plataforma americana Moda Operandi, que incluiu a Heimat Atlántica no seu catálogo pouco após o seu lançamento. Desde então, a marca reforçou a sua presença online através da comercialização no seu próprio site e nos e-commerce Matchesfashion, Shopbop, Wallpaper Store e da plataforma exclusiva de venda antecipada de produtos de luxo Vasquiat.
 
No canal físico, a Heimat Atlántica está disponível em espaços de nove mercados: Barneys, em Nova Iorque; The Webster, em Miami e Los Angeles; Camargue, na Austrália; Super A Market e Dover Street Market Ginza K3, em Tóquio; On Pedder, em Hong Kong; My Boon e Studio B Stace Mue Galleria, na Coreia; Voo, em Berlim; Luisa World, na Grécia e Ma-Condo, em Itália. Por fim, em França a marca de origem galega pode ser encontrada na A Rebours Fondation Lafayette Antecipations ou no Le Bon Marché. Além disso, a Heimat Atlántica juntou-se ao recém-inaugurado espaço das Galeries Lafayette nos movimentados Champs-Élysées. "Trabalhamos com poucos retalhistas selecionados de cada mercado. Quero preservar a natureza única da empresa com um crescimento orgânico", explica a fundadora.

A empresa, que não comunica a sua faturação, assegura ter registado um crescimento de 50% no ano passado. Em 2019, a Heimat Atlántica pretende estabilizar a presença nos seus atuais mercados e aumentar as vendas através do seu próprio site, que se encontra em processo renovação. Com Ásia, França e Estados Unidos como os seus principais mercados até ao momento, a marca tem previstas aberturas na China e Austrália, além de continuar a organizar encontros com clientes finais, como tem feito através de lojas efémeras na Coreia.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosDistribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER