×

Hermès: vendas aceleram no primeiro trimestre, impulsionadas pela China

Publicado em
today 26 de abr de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

As vendas do grupo francês de luxo, Hermès, aceleraram no primeiro trimestre do ano, atingindo 1,6 mil milhões de euros, devido ao crescente sucesso das bolsas, mas também graças ao forte desempenho na China.


Vendas aceleram no primeiro trimestre


O volume de negócios da empresa, divulgado na quinta-feira (25), foi superior às estimativas dos analistas da Factset e Bloomberg, que previam vendas de até 1,58 mil milhões de euros.

Nos primeiros três meses do ano, a Hermès viu seu negócio crescer 16% em base reportada. Em termos orgânicos, esse crescimento foi de 12%, maior que o dos dois últimos trimestres de 2018, que tiveram aumento de 9,6%.

"Impulsionada pelo sucesso de suas coleções entre todos os clientes, a Hermès experimentou uma aceleração nas vendas no primeiro trimestre, o que reflete a continuação de uma tendência dinâmica, especialmente na China", disse Axel Dumas, presidente do grupo, em comunicado.

O diretor financeiro da empresa, Eric du Halgouët, ressaltou durante uma teleconferência que a Hermès teve "um crescimento muito sólido, sem romper a tendência", e enfatizou que "a dinâmica continuou em todas as regiões geográficas, com um crescimento muito saudável”.

Na Ásia, excluindo o Japão, a atividade aumentou 17%, "um excelente desempenho com um ótimo crescimento impulsionado pela China continental, e um aumento de dois dígitos em todos os outros países da região".

Eric Halgouët também destacou "um bom Ano Novo Chinês", mas também informou que todos os países da "Grande China", que inclui Hong Kong, Macau e Taiwan, "também tiveram aumentos de dois dígitos”. As vendas no Japão aumentaram 10% no trimestre, assim como na América.

A Europa, excluindo a França, registrou aumento de 9,5% em seu volume de negócios. A França, por outro lado, obteve crescimento de + 1%, pois foi impactada com as manifestações dos "coletes amarelos”. As lojas de Faubourg Saint-Honoré e George V, em Paris, "experimentaram um declínio no fluxo de clientes aos sábados", explicou o diretor financeiro.

Por categoria, a divisão de artigos de couro e selaria, a mais importante do grupo famoso por suas bolsas Birkin e Kelly, avançou 12,5% no trimestre, "desfrutando de entregas sustentadas no início do ano”.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.