×
302
Fashion Jobs
DIRETOR(A) INDUSTRIAL
Diretor(a) Industrial
Efetivo · MONACO-VILLE
GIANNI KAVANAGH
PR / Influencers Management
Efetivo · BRAGA
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
CONFIDENCIAL
Country Manager Iberica Textile
Efetivo · PORTO
SALSA
Ecommerce Product Manager – Desenvolvimento do Negócio Digital da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
SPORT ZONE
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
DAMA DE COPAS
Consultora de Lingerie
Efetivo · PORTO
THE KOOPLES
Sales Assistant 16h - Eci Lisbon
Efetivo · LISBOA
EMPRESA DE MODA NO SETOR DO LUXO
Vendedor/a de Loja de Gama Alta
Temporario · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Foz Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Figueira da Foz
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Coimbra cc Forum Coimbra - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo ·
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Lisboa cc Chiado - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo · LISBOA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
14 de abr. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Hermès: vendas saltam 33% no primeiro trimestre

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
14 de abr. de 2022

Tal como a LVMH, a Hermès continuou a sua corrida no primeiro trimestre. As vendas do grupo de luxo francês atingiram 2,76 mil milhões de euros em 31 de março, um aumento de 33% (+27% a taxas de câmbio constantes) em relação ao mesmo período em 2021, apesar da guerra na Ucrânia e dos confinamentos na China. Este resultado foi melhor do que o esperado, uma vez que, segundo a Factset e a Bloomberg, os analistas esperavam vendas de 2,49 e 2,41 mil milhões de euros, respetivamente.


Um look Hermès da coleção para o outono-inverno 2022/2023 - © PixelFormula


"Apesar de um ambiente ainda incerto, o grupo está a intensificar os seus investimentos estratégicos, recrutamento e formação para apoiar o crescimento em todos os negócios da empresa", disse Axel Dumas, diretor geral da Hermès, citado numa declaração emitida na quinta-feira (13 de abril). "A médio prazo, apesar das incertezas económicas, geopolíticas e monetárias em todo o mundo, o grupo confirma um objetivo ambicioso de crescimento das vendas a taxas constantes", disse a empresa.
 
A Hermès foi o primeiro grupo de luxo a anunciar o encerramento das suas lojas na Rússia, no início de março. O fabricante de selaria e artigos de couro tem três lojas em Moscovo que empregam 60 pessoas. A abertura de uma quarta loja em São Petersburgo, prevista para junho, foi suspensa. "O impacto não é significativo para o grupo", explicou Eric du Halgouët, diretor financeiro, durante uma conferência telefónica: "As vendas na Rússia representam menos de 1% das vendas do grupo", que não teve qualquer atividade na Ucrânia. Além disso, a Hermès "respeita perfeitamente a legislação e não vende para a lista de oligarcas" que lhes foi enviada, disse.

Na China, a empresa informa ter tido um início "excecional" do ano, segundo Eric du Halgouët, até março, quando começaram os primeiros confinamentos. Atualmente, o selador, que tem 26 pontos de venda no país, tem três lojas fechadas em Xangai. A empresa, que reabriu as suas lojas em Hong Kong e Macau no início do ano, foi também penalizada pelas medidas sanitárias tomadas pelas autoridades de Shenyang. Contudo, diz estar "confiante" e sublinha que conquistou novos clientes na China, onde abriu a sua primeira loja na província de Henan, em Zhengzhou, no final de março.
 
As vendas na Ásia, excluindo o Japão, que por si só representam mais de metade das receitas do grupo, aumentaram 19,8% a taxas de câmbio constantes para 1,44 mil milhões de euros (+17,4% no Japão para 277 milhões de euros), beneficiando de "um Ano Novo chinês muito bom e de uma atividade sustentada em toda a região, particularmente na Tailândia, Singapura e Austrália", disse a empresa.
 
Este primeiro trimestre foi também apoiado pelo forte crescimento das vendas nas Américas (+44,2% a taxas de câmbio constantes). A Hermès menciona "uma dinâmica muito boa nos Estados Unidos", com a reabertura da sua loja renovada e ampliada South Coast Plaza em Costa Mesa, perto de Los Angeles.
 
A maison de luxo parisiense também registou um bom desempenho na Europa durante os primeiros três meses do ano (+42,2%) com 541 milhões de euros, dos quais 214 milhões foram alcançados em França (+39,7% novamente a taxas de câmbio constantes). No Velho Continente, a empresa beneficiou de "bases de comparação favoráveis, conseguindo um crescimento sólido, particularmente no Reino Unido, Alemanha, Itália e Espanha", para além de França.
 
Todas as categorias de produtos registaram aumentos de dois dígitos. Enquanto os artigos de couro e selaria, o principal negócio da Hermès, viu o seu volume de negócios aumentar 15,8% entre janeiro e março, para 1,19 mil milhões de euros, o dos relógios subiu 62% (+71,5% numa base reportada), para 134 milhões de euros. As vendas de vestuário e acessórios aumentaram em 44,1% para 710 milhões de euros.
 
"Para 2022, é ainda difícil avaliar o impacto do contexto sanitário. O modelo artesanal altamente integrado, a rede de distribuição equilibrada, a criatividade das nossas coleções e a fidelidade dos nossos clientes permitem-nos olhar para o futuro com confiança", concluiu a Hermès.

Com a AFP
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.