×
309
Fashion Jobs
SACOOR BROTHERS
Brand Manager (m/f)
Efetivo · Lisboa
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c. Comercial Ubbo Alfragide
Efetivo · Lisboa
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo · Porto
SALSA
Conversion Rate Optimization Specialist – Otimizar a Experiência de Compra no Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
HR Specialist - Gbs Operations - General Admin (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Project Manager - Fulfilment Programs (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Scm Products - Product Supply / Fulfillment (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - Mobility (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Gbs HR Services (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Procurement Manager (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sap sd (Afs & s4/Hana) (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Scm Products - Product Supply Primary Data (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Supply Chain Management Products - Tms Integration (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Project Manager Supply Chain (M/F/D)
Efetivo · Porto
SALSA
Marketplaces Account Manager - Oportunidade de Contrubuir Para a Internacionalização da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Senior Sap Consultant - Sac/bw-ip/Fico (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior HR Specialist - HR Systems Support (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist - Systems Support (M/F/D)
Efetivo · Porto
FOREO
Marketing Manager - Portugal
Efetivo · Lisbon
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c.c. Vasco da Gama
Efetivo · Lisboa
Por
Guia JeansWear
Publicado em
22 de set. de 2015
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Impacto da desvalorização do yuan na indústria têxtil mundial

Por
Guia JeansWear
Publicado em
22 de set. de 2015

Temores acerca do estado da economia chinesa sacudiram os mercados financeiros nos fins do mês de agosto, resultando em quedas subsequentes nos preços das ações.

A indústria do vestuário, no entanto, tem buscado reduzir o potencial impacto da decisão do Banco Central da China de desvalorizar o yuan, que atingiu, recentemente, o seu valor mais baixo face ao dólar americano em quase três anos.


​Contribuindo para a crise, surgem o quarto corte de taxas de juro desde novembro e os resultados frágeis da manufatura chinesa. 

Dados difundidos recentemente demonstram que a atividade produtiva chinesa desacelerou, fixando-­se no seu valor mais baixo em agosto, num momento em que a produção e novas encomendas são negociadas a taxas de juro elevadas.

O Índice Caixin China de Gestores de Compras (ou PMI na sigla internacional) caiu para 47,1 pontos em agosto, em comparação com 47,8 em julho, sendo que o resultado positivo deveria ser superior a 50.

Os componentes individuais deste índice demonstram que a produção, as novas encomendas e as novas encomendas de exportação diminuíram a uma taxa mais rápida face ao mês anterior. Os preços de entrada e saída caíram também a um ritmo mais acelerado, porém a queda da procura conduziu a um aumento dos stocks de produtos acabados. 

Em todo este cenário, os exportadores chineses devem sair ilesos, já que muitas empresas do país adquirem bens de exportação na China em dólares norte-­americanos, um benefício que ainda não se fez notar, já que tal desvalorização não foi tão significativa.

Para as empresas americanas têxteis e de vestuário, a desvalorização da moeda chinesa representa um misto de riscos e oportunidades, pois se, por um lado, as exportações de vestuário chinesas deverão ficar mais baratas, por outro, as importações de produtos provenientes dos EUA, como algodão e fios, ficarão mais caras, tornando a aquisição desses artigos desinteressante para os fabricantes chineses.

Já as empresas têxteis e de vestuário da União Europeia deverão ser intensamente afetadas pela desvalorização, já que o aumento das exportações da UE vinha sendo alimentada pela desvalorização do euro em 2015 e, sob tal cenário, poderão tornar-­se mais amenas, ou mesmo, poderão estabilizar-se, de acordo com especialistas da indústria.

Segundo Roberta Adinolfi, gestora de economia e de estatística da Euratex, em 2014 a China foi responsável por quase um terço das importações têxteis do bloco e por 39% das importações de vestuário em 2014.

As exportações poderão aumentar ainda mais, levando a China a conquistar quota de mercado adicional em outros mercados asiáticos, como Índia, Bangladesh e Vietname, o que representaria uma profundidade maior do déficit comercial da União Européia face à China.

Copyright © 2022 Guia JeansWear. Todos os direitos reservados.