Inditex: lucro líquido aumenta 10% no primeiro trimestre para 734 milhões de euros

A empresa de moda galega começa o exercício com um forte desempenho operacional. No primeiro trimestre fiscal (de 1 de fevereiro a 30 de abril), a faturação do grupo foi de 5,93 mil milhões de euros, mais 5% do que em 2018, quando esta subiu para 5,65 mil milhões de euros. A taxa de câmbio constante, também se registou um aumento de 5%.


Pablo Isla, presidente da Inditex - Inditex

Segundo informou a empresa à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores) espanhola esta quarta-feira, 12 de junho, na segunda metade do trimestre as vendas "foram afetadas por condições meteorológicas adversas". Apesar disso, o grupo registou um crescimento de vendas em todas as suas cadeias, assim como em todas as áreas geográficas. De 1 de fevereiro a 7 de junho, as vendas em lojas físicas e online aumentaram 6,5% a taxa de câmbio constante, enquanto de 1 de maio a 7 de junho, o crescimento foi maior, subindo até 9,5%.
 
Por sua vez, o lucro líquido do grupo situou-se nos 734 milhões, o que representa um aumento de 10% em relação ao mesmo período do exercício anterior. O lucro bruto de exploração (Ebitda) da Inditex ascendeu a 1,68 mil milhões de euros, o que significa um aumento de 49%, enquanto que o resultado líquido de exploração (Ebit) se estabeleceu nos 980 milhões de euros, 15% superior a 2018.
 
As contas refletem pela primeira vez a aplicação da Norma NIIF 16. Excluindo os efeitos da aplicação das novas regras contabilísticas em matéria de arrendamentos desde 1 de fevereiro de 2019, o Ebitda cresceu 9%, o Ebit 7 % e o lucro líquido 7%.

O presidente da Inditex, Pablo Isla, sublinhou num comunicado que estes números demonstram "a solidez do modelo da empresa, que continua a crescer em rentabilidade". O executivo destacou igualmente "o impulso permanente para a transformação digital da plataforma integrada de lojas e online e a sustentabilidade como eixo estratégico da empresa".

A implantação online e o compromisso ambiental, prioridades para o grupo galego
 
Com este modelo integrado em mente e o objetivo de que todas as cadeias do grupo estejam disponíveis online em todo o mundo até 2020, conforme anunciou Pablo Isla no outono passado, a Inditex anunciou o lançamento de nove novos mercados online. O grupo galego acaba de inaugurar a sua plataforma de e-commerce em Marrocos, Egito, Líbano, Israel, Sérvia, Indonésia, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, mercados que se juntam ao lançamento do site da Zara no Brasil no primeiro trimestre do ano. Durante a próxima campanha outono-inverno, a Zara lançará a venda online na África do Sul, Qatar, Kuwait, Bahrein, Omã, Jordânia, Colômbia, Filipinas e Ucrânia.

Em matéria de compromisso ambiental, o grupo anunciou a criação de uma comissão especificamente dedicada à sustentabilidade, que estará integrada no conselho de administração. Segundo informou a Inditex, esta será responsável "pelo acompanhamento da estratégia e das políticas de sustentabilidade; por supervisionar a monitorização de toda a cadeia de abastecimento e as relações tanto com os diferentes grupos de interesse em matéria de sustentabilidade como com o conselho social”. Além disso, a comissão garantirá o cumprimento das normas de saúde e segurança e a política de direitos humanos.
 
A Inditex realizará a sua assembleia geral de acionistas do exercício a 16 de julho na sua sede em Arteixo (A Coruña), quando aprovará oficialmente a nomeação de Carlos Crespo como CEO da empresa. Nesta assembleia, Pablo Isla também será reeleito como presidente executivo.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER