×
352
Fashion Jobs
GIANNI KAVANAGH
Marketing Director
Efetivo - CLT · BRAGA
UNREAL FIELDS
Creative/Art Director
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Commercial Product Manager - Work With Product in The Fashion Business
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer (m/f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
LION OF PORCHES
Editor de Imagem/Vídeo (m/f)
Efetivo - CLT · PORTO
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Almada Fórum - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Almada
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Loures Shopping - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Loures
SYSTEMACTION
Vendedor
Estágio · LISBOA
THE KOOPLES
Sales Assistant Part Time (20h) Lisboa
Trabalho temporário · LISBOA
THE KOOPLES
Concession Manager w/m - Lisboa - Full Time
Efetivo - CLT · LISBOA
CONFIDENTIAL
Concession Manager w/m - Lisboa - Full Time
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Braga - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Braga
LEVI'S
Store Manager (ds Porto)
Efetivo - CLT · Porto
MAJE
Assistant Store Manager - Colombo Lisbon m/f
Trainee · LISBOA
MARIA BY FIFTY
Marketing Digital
Estágio · BRAGA
MARIA BY FIFTY
Fashion Designer/ Grafic Designer
Estágio · BRAGA
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
16 de set de 2020
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Inditex vê vendas reduzirem 37%, mas regressa aos lucros

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
16 de set de 2020

A Inditex regressou ao caminho dos lucros. No segundo trimestre do exercício em curso, compreendido entre 1 de maio e 31 de julho, o grupo fundado por Amancio Ortega obteve um lucro de 214 milhões de euros e abandonou os números vermelhos que ascenderam a 409 milhões de euros no primeiro trimestre. No entanto, o grupo registou perdas de 195 milhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior.


Inditex


Notas agridoces no âmbito da faturação. Embora as vendas do grupo no primeiro semestre do ano tenham continuado a recuperar, alcançando os 8,33 mil milhões de euros, a queda da faturação situou-se em 37%. Valor que, no entanto, reflete a recuperação, graças ao facto de, no segundo trimestre, ter moderado a sua queda para 31%, para 4,73 mil milhões de euros, face ao decréscimo de 44% registado no primeiro trimestre.
 
Excluindo a provisão de 308 milhões de euros realizada no primeiro trimestre para acelerar a estratégia de integração das lojas com o online, o lucro líquido semestral já é positivo e atinge os 39 milhões de euros, segundo a empresa.

Por seu lado, as lojas encerradas no segundo trimestre chegaram a alcançar 87% do total em maio e, desde então, foram gradualmente normalizando a sua atividade.

Atualmente, a Inditex já conseguiu abrir 98% do parque global de lojas, embora ainda se mantenham algumas limitações de horário e capacidade em determinados mercados.
 
As vendas têm sido impulsionadas pelo crescimento "muito forte" da venda online, que foi de 74% nos primeiros seis meses do exercício. Efetivamente, o Grupo ultrapassou pela primeira vez um milhão de pedidos online num único dia.
 
O resultado operacional bruto (Ebitda) situou-se, por sua vez, em 1,486 mil milhões de euros no semestre, 56% abaixo dos 3,447 mil milhões de euros do ano anterior. No segundo semestre, o Ebitda cifrou-se em 1,002 mil milhões de euros, 43% inferior ao mesmo período do ano anterior, enquanto o resultado líquido foi de 214 milhões de euros, menos 73%.
 

O caminho para a recuperação após a Covid-19



Segundo destacou o grupo, a margem bruta manteve-se em 56,2% das vendas, contra 56,8 no exercício de 2019, resultado da gestão de um modelo de negócio ajustado à demanda.
 
Esta gestão também se refletiu no inventário, 19% inferior à mesma data do exercício anterior, enquanto a gestão ativa dos gastos operacionais permitiu reduzi-lo em 21%.
 
A empresa já gerou 734 milhões de euros de caixa líquido no segundo trimestre e a posição financeira líquida do semestre atinge 6,486 mil milhões, apesar de, de acordo com a empresa, todas as circunstâncias adversas provocadas pela pandemia de Covid-19.

Com todos estes dados, o presidente da Inditex, Pablo Isla, sublinhou a importância das conquistas obtidas nas circunstâncias atuais. “A recuperação e o forte desempenho operacional são fruto do trabalho, envolvimento e criatividade de todas as pessoas que a integram a Inditex Estou especialmente satisfeito com a evolução das vendas online, pois demonstra a importância da nossa estratégia de integração das lojas com o online, como parte essencial do nosso modelo de negócio, com três pilares fundamentais: flexibilidade, integração e sustentabilidade. Diariamente essa combinação mostra a sua solidez.”
 
Relativamente ao início do segundo semestre, a Inditex destacou que se mantém a tendência de normalização identificada durante o terceiro trimestre, com a venda online a crescer a um ritmo notável e as vendas nas lojas físicas a recuperarem gradualmente.

Assim, as vendas em loja e online a câmbio constante entre 1 de agosto e 6 de setembro de 2020 foram 11% inferiores às exigentes comparáveis do mesmo período em 2019, quando as vendas cresceram 8%. A Inditex também destacou que continua “muito ativa” na diferenciação do seu espaço comercial, com projetos “muito relevantes” de aberturas, ampliações e renovações nos próximos meses.

Nesse sentido, o crescimento do espaço em 2020 está em linha com o previsto. Os investimentos totais rondarão os 900 milhões de euros anuais no período 2020-2022, com um investimento digital de mil milhões de euros ao longo destes três anos.

No primeiro semestre, a Inditex inaugurou lojas em 14 mercados e no final do período operava 7.337 lojas.

Por último, de acordo com o que foi aprovado em assembleia geral por proposta do conselho de administração, no dia 2 de novembro será pago o dividendo ordinário de 0,35 euros por ação, por conta dos resultados do exercício de 2019.
 
Triana Alonso com Europa Press

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.