×
369
Fashion Jobs
MINGA LONDON
Ecommerce Manager
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
MINGA LONDON
Head of Creative Content / Art Director
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
SALSA
IT Retail Systems Specialist – Oportunidade de Suporte e Participação em Projetos de IT
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
GIANNI KAVANAGH
Marketing Director
Efetivo - CLT · BRAGA
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
SANDRO
Sales Assistant 12hr Corner Porto h/m
Trainee · LARAMIE
LION OF PORCHES
Gerente (m/f) - Algarve Shopping
Efetivo - CLT · GUIA
LION OF PORCHES
Gerente (m/f) - Oeiras Parque
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 40h - CDI - Eci Lisboa - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Gestor de Loja - 40h - CDI - Lisboa Colombo - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 40h - CDI - Lisboa Colombo - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
TAPESTRY
Sales Associate ii - ce pt Vila do Conde (20-39 Hours)
Efetivo - CLT · Vila do Conde
SALSA
Estágio Curricular - People & Talent
Estágio · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Estação Viana - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Viana do Castelo
THE KOOPLES
Store Manager
Efetivo - CLT · LISBOA
HUGO BOSS
Sales Associate Hugo Boss Factory Outlet Almancil (f/m)
Efetivo - CLT · Quarteira
HUGO BOSS
Sales Associate Hugo Boss Factory Outlet Almancil (f/m) 1
Efetivo - CLT · Porto
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
19 de mai de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Indústria da moda italiana perdeu 3,5 biliões de euros no primeiro trimestre do ano

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
19 de mai de 2020

Numa videoconferência, realizada a semana passada, a Sistema Moda Italia (SMI), associação de fabricantes de roupas e tecidos de Itália, apresentou um estudo sobre o impacto que a crise do coronavírus COVID-19 teve até agora, no sector, como um todo. Segundo a SMI, foram perdidos mais de 3,5 biliões de euros em receita durante o primeiro trimestre de 2020.


Verão 2020 - MSGM - msgm.it


Das empresas avaliadas no estudo, 49% sofreram uma desaceleração entre 20% e 50% nos pedidos, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Para 29% das empresas, o déficit de pedidos ficou entre 10% e 20%. Os números foram divulgados por Marino Vago, presidente da SMI, que disse esperar uma desaceleração ainda mais acentuada para o resto do ano.

As exportações, o motor da indústria têxtil e de vestuário de Itália, podem cair 20% em 2020, de acordo com as estimativas da SMI, o equivalente a um déficit de 6 biliões de euros. Considerando as repercussões desse déficit de exportações, em toda a cadeia produtiva, espera-se que a indústria como um todo sofra uma perda de receita estimada entre 7 biliões e 9 biliões de euros.

Entre 7 e 17 de abril, quando foram entrevistadas, 76% das empresas disseram que ainda estavam estacionárias, enquanto 24% estavam envolvidas em negócios administrativos e online. Observe que 13% conseguiram converter a produção para fabricar equipamentos de proteção individual como máscaras e outros.  "Foram feitos investimentos com o objetivo de adaptar a produção, uma opção que pode transformar-se em bons negócios para muitas empresas, devido ao alto nível de demanda por máscaras nos próximos meses", disse o General Manager da SMI, Gianfranco Di Natale.

Quase 95% das empresas entrevistadas recorreram a medidas de proteção ao emprego, especialmente licenças, e para 65% essas medidas envolveram mais de 80% da força de trabalho. O principal pedido que a SMI está a fazer ao governo italiano é por uma ajuda com medidas de proteção ao emprego que, de acordo com a alta administração da associação, são prova de uma "genuína disposição para proteger a força de trabalho da indústria da moda italiana".


Marino Vago, presidente do SMI, durante a videoconferência. - ph Dominique Muret


Em segundo lugar, os associados da SMI estão a pedir "políticas para garantir liquidez", ou seja, para tornar os empréstimos mais acessíveis, bem como "políticas fiscais" apropriadas. "Se o governo se abstivesse de pedir, nos próximos meses, o pagamento de impostos sobre os lucros futuros dos negócios, isso permitiria injetar recursos imediatamente no sector”, observa Marino Vago.

Entre os principais problemas causados ​​pela crise do novo coronavírus, os empreendedores de Itália colocam no topo das preocupações as "relações com os clientes”. Noutras palavras, estão preocupados com a deterioração nas relações ao longo de toda a cadeia produtiva, com abusos em particular, como enfatizam os líderes da SMI, por parte de grandes grupos, usando a sua posição dominante. Os problemas financeiros e de fluxo de caixa ocupam o segundo lugar desta lista, seguidos pela burocracia do país e pelo cancelamento dos principais eventos e feiras do sector.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.