×
352
Fashion Jobs
GIANNI KAVANAGH
PR / Influencers Management
Efetivo · BRAGA
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
CONFIDENCIAL
Country Manager Iberica Textile
Efetivo · PORTO
SALSA
Ecommerce Product Manager – Desenvolvimento do Negócio Digital da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
FARFETCH
Account Manager (Italian Speaker)
Efetivo · PORTO
LION OF PORCHES
Copywriter
Efetivo · MINDELO
SPORT ZONE
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
FOREO
Business Development Specialist
Efetivo · Lisbon
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services - Compensation (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
FAÇONNABLE (RETAIL)
Vendedor/a - 40h - Freeport
Temporario · ALCOCHETE
HACKETT LONDON (RETAIL)
Vendedor/a - Part Time - Outlet Freeport
Temporario · LISBOA
CONFIDENCIAL
Subgerente de Loja Shopping Center Lisboa Inicio Imediato (m/f)
Temporario · LISBOA
Por
Agência LUSA
Publicado em
8 de jul. de 2015
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Indústria de vestuário de Torres Vedras insolvente coloca 70 trabalhadores em risco

Por
Agência LUSA
Publicado em
8 de jul. de 2015

Torres Vedras (Lusa) – O Tribunal da Comarca Lisboa Norte declarou insolvência à Sociedade Têxtil da Assenta, fabricante das camisas d'assenta, cujas 70 trabalhadoras estão em risco de despedimento, de acordo com a sentença, a que a agência Lusa teve acesso.

A empresa possui um "passivo manifestamente superior ao seu ativo e não tem capacidade económica e financeira para cumprir as suas obrigações e pagar as suas dívidas", conclui o tribunal na sentença de declaração de insolvência datada de 01 de julho, a que a Lusa teve acesso.

Um ponto de venda da marca DASSENTA - Foto: Reprodução


A indústria atravessa dificuldades desde pelo menos janeiro de 2013, altura em que avançou para tribunal com um Processo de Especial Revitalização, no âmbito do qual foi aprovado um plano de recuperação.

Volvidos dois anos, decidiu pedir insolvência no final de março deste ano, uma vez que, apesar de ter reduzido os custos, "não aumentou o volume de faturação", por isso continua sem conseguir cumprir o plano, refere o requerimento, a que a Lusa teve acesso.

A empresa admite que "tem vindo a ultrapassar graves dificuldades económicas e financeiras, que a impedem de cumprir pontualmente as suas obrigações, nomeadamente com fornecedores, trabalhadores e a banca".

Possui um passivo de 4,4 milhões de euros, "manifestamente superior ao seu ativo", devido a dívidas que não consegue pagar "com fornecedores, trabalhadores e banca".

A situação financeira é justificada com a "grave crise que afeta todo o setor dos têxteis".

O fabricante emprega 70 trabalhadores, que não têm salários em atraso, mas que correm o risco de despedimento se a continuidade da empresa não for garantida. Para o efeito, pediu insolvência no sentido de vir a ser delineado um plano de recuperação no âmbito do processo de insolvência.

A requerente acredita que a sua continuidade "é economicamente viável, porque tem uma boa carteira de clientes". Contudo, por estar debilitada em termos financeiros, "não tem disponibilidade de tesouraria para custear a aquisição de matéria-prima, nem para pagar os custos de mão-de-obra, de forma a poder aceitar e cumprir encomendas."

O Tribunal da Comarca Lisboa Norte nomeou para administrador de insolvência Artur Bruno Vicente e fixou um prazo de 30 dias, a contar desde o dia 01, para os eventuais credores virem reclamar os seus créditos.

A assembleia de credores está marcada para 08 de setembro, no Tribunal de Loures, onde funciona de modo temporário a secção de comércio de Vila Franca de Xira, a que pertencem os processos oriundos do concelho de Torres Vedras.

A Sociedade Têxtil da Assenta, com 30 anos, exporta 60% da sua produção sobretudo para o Brasil, Angola, Moçambique, África do Sul, Bélgica, França, Inglaterra, Islândia e Suíça.

Copyright © 2022 Agência LUSA. Todos os direitos reservados.