×
357
Fashion Jobs
UNREAL FIELDS
Creative/Art Director
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Commercial Product Manager - Work With Product in The Fashion Business
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer (m/f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - Italian Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
SALSA
Vendeur(se) Carre Senart 30h
Efetivo - CLT · Paris
LION OF PORCHES
Fotógrafo (m/f) – Vila do Conde
Efetivo - CLT · PORTO
BWGROUP
Fashion Styling And Production
Efetivo - CLT · BRAGA
BWGROUP
Fashion Design Intern
Estágio · BRAGA
CONFIDENTIAL
Concession Manager w/m - Lisboa - Full Time
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Famalicão - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Freeport - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Alcochete
BWGROUP
Controle de Qualidade / Tabelas de Medidas
Efetivo - CLT · BRAGA
LEVI'S
Part-Time 20h Levis el Corte Inglês Gaia
Efetivo - CLT · Vila Nova de Gaia
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Wshopping (Santarém) - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Lisboa
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Évora Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Évora
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Albufeira - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Albufeira
Por
Portugal Textil
Publicado em
9 de nov de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Inovar Ponto por Ponto

Por
Portugal Textil
Publicado em
9 de nov de 2020

É ponto por ponto que a especialista em vestuário de cerimónia pretende «inovar mais» de forma a cativar o cliente, numa altura em que o segmento sofreu quebras com os eventos cancelados. As máscaras a combinar com os diferentes coordenados são uma aposta da marca, que quer juntar os EAU e a Irlanda ao leque de mercados.


Sílvia Marques


O impacto da pandemia foi sentido nas mais variadas áreas de negócio, sobretudo naquelas em que, como é o caso do vestuário de cerimónia, estão diretamente ligadas à concretização de eventos que, como não se realizaram ou foram adiados, afetaram, consequentemente, a colocação de novas encomendas bem como o cancelamento das mesmas. «O nosso forte é a cerimónia de verão e como a pandemia veio em março, estragou-nos o ano por completo. Em março estávamos a começar a ficar no auge das entregas e das repetições», revela Sílvia Marques, uma das sócias da empresa familiar, que opera também em regime de private label, ainda que a Ponto por Ponto tenha a maior representatividade.
 

Sediada no centro do Porto e com um trabalho «muito minucioso», a empresa entrou em layoff durante quatro meses, mas não consecutivos. «Estivemos [em layoff] em abril, maio, julho e agosto. Habitualmente, trabalhamos muito a partir de março e como as lojas fecharam, não havia serviço», explica ao Portugal Têxtil. «Ficámos sem trabalho e tentámos arranjar opções para o mercado, para não estarmos parados. Começámos a meter-nos no fabrico de batas cirúrgicas, na altura houve roturas de stocks, e depois as máscaras. Conseguimos a certificação e também estamos a fazer máscaras certificadas», conta a empresária.

Atualmente, a empresa Álvaro Ribeiro Marques, detentora da marca de vestuário de cerimónia para bebé e criança, continua a dedicar-se, para além da marca própria e do private label, à produção de batas cirúrgicas e máscaras reutilizáveis, uma ideia implementada também numa missão de solidariedade perante os efeitos nefastos da pandemia. «Surgiu da vontade de ajudar, pois temos vários familiares ligados à área de saúde que não tinham material de proteção. Doámos muito», admite Sílvia Marques.

Expandir e convencer

Com um efetivo de 13 trabalhadores, que contribuem para que a Ponto por Ponto se distinga no mercado pela «qualidade», inovar é o segredo para convencer o cliente, uma vez que a especialista em vestuário de cerimónia está presente em lojas multimarca que, ao reabrirem portas, ainda tinham artigos em stock para vender. «Temos que inovar mais de forma a convencer o cliente a ir ver a nova coleção. Eu só consigo convencer se apresentar alguma coisa diferente e é essa diferença que já integrámos na coleção de verão», assegura Sílvia Marques, apontando a inclusão das máscaras na coleção como uma das inovações. «Incorporámos, na coleção, máscaras a acompanhar os vestidos de cerimónia e já para esta altura está-se a vender», admite.

Portugal representa entre 70 e 80% das vendas da Ponto por Ponto, que tem como meta crescer mais além-fronteiras, como medida para inverter a ligeira queda que a marca tem registado na quota de exportação. O mercado espanhol, que se junta ao leque de mercados da insígnia – França, Reino Unido e Luxemburgo – tem vindo já a aumentar. Além disso, «há uns contactos para os Emirados Árabes Unidos e para a Irlanda», adianta Sílvia Marques. «Também fazemos Itália, que curiosamente nos tem surpreendido no pós-confinamento. Foi um mercado que começou a mexer, surpreendentemente. Espanha também – já me ligaram vários clientes a fazer reposições», acrescenta.

Apesar de estimar uma queda de cerca de 50% no volume de negócios, a empresária garante «continuar com as batas, com as repetições que há e à espera dos pedidos, que já estamos a receber, todos de Itália, para o verão de 2021, para começar a comprar tecidos e a fabricar».

Copyright © 2021 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.