×
370
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Instagram oculta likes dos utilizadores em seis países

Por
AFP-Relaxnews
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 22 de jul de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

O Instagram começou a esconder os likes dos seus utilizadores no Brasil, Austrália e em outros grandes mercados na quinta-feira (18), com a justificação de estar a tentar reduzir a pressão que estes podem sentir, depois de receber críticas sobre o efeito que exerce na saúde mental da sua comunidade. Com a mudança que está a ser testada na rede social que pertence ao Facebook, os utilizadores de seis países já não poderão ver a quantidade de likes nos posts de outras pessoas.



"Queremos que o Instagram seja um lugar onde as pessoas se sintam confortáveis para se expressarem", disse em comunicado Mia Garlick, diretora de políticas do Facebook Austrália e Nova Zelândia. "Esperamos que este teste elimine a pressão relacionada com o número de likes que uma publicação recebe, para que os utilizadores possam concentrar-se em partilhar as coisas de que gostam", acrescentou.

Este ocultamento está a ser realizado no Brasil, Austrália, Itália, Irlanda, Japão e Nova Zelândia, após um teste inicial feito no Canadá em maio. Embora o Instagram tenha ressaltado que ocultar os likes dos utilizadores era um "teste", não mencionou um prazo para o término do mesmo.   

O Instagram, uma rede que tem mais de mil milhões de utilizadores ao redor do mundo, é uma plataforma que permite aos utilizadores publicar imagens e vídeos, que por sua vez podem receber likes ou comentários.

Nos países escolhidos para o teste, os likes não serão visíveis nos perfis das pessoas, na imagem principal ou nas páginas de links permanentes. Além disso, embora os utilizadores ainda possam ver o número total de likes nas suas próprias publicações, precisarão de navegar para outra página para fazer isso.

Escrutínio das redes sociais

Os gigantes das redes sociais têm enfrentado um exame mais detalhado sobre o impacto que as suas plataformas podem exercer sobre os utilizadores, e há pesquisas que sugerem que o Instagram pode afetar negativamente a saúde mental dos jovens que o utilizam.

Um estudo realizado em 2017 pela Royal Society for Public Health classificou o Instagram como a pior plataforma de rede social para a saúde mental dos jovens no Reino Unido. Uma pesquisa realizada em 2018 pelo Pew Research Center com adolescentes nos Estados Unidos concluiu que quase 40% sentem a pressão de compartilhar apenas conteúdo digital que tenha gerado muitos likes ou comentários.

Num comunicado publicado com o anúncio sobre as mudanças relacionadas com os likes, o Instagram esclareceu que estas respondem às preocupações com as pressões sentidas pelos utilizadores.

"Estamos a testar estas mudanças porque queremos que os seguidores se concentrem nas fotos e vídeos compartilhados e não na quantidade de likes", disse um porta-voz do Instagram. "Não queremos que o Instagram se torne uma competição."

A última medida acontece apenas uma semana depois de o Instagram implementar novos recursos desenvolvidos para reduzir o assédio online usando inteligência artificial. Outra iniciativa para proteger a saúde mental dos jovens utilizadores, apresentada em fevereiro, consistia em restringir as imagens relacionadas com automutilação.

O Instagram disse que as medidas para esconder os likes não vão afetar as ferramentas de análise estatística utilizadas pelas empresas que utilizam a plataforma para promover os seus produtos.

Copyright © 2019 AFP-Relaxnews. All rights reserved.