×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de out. de 2022
Tempo de leitura
8 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Iryna Danylevska, fundadora e CEO da Ukrainian Fashion Week: 'A moda mostra solidariedade'

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de out. de 2022

Oito meses após a primeira ofensiva russa na Ucrânia, a fundadora e CEO da Ukrainian Fashion Week (UFW), Iryna Danylevska, fala à FashionNetwork.com sobre o apoio do mundo da moda durante a última semana de moda e sobre a situação dos estilistas ucranianos de hoje.


Iryna Danylevska, fundadora e CEO da Ukrainian Fashion Week - DR


FashionNetwork: Construiu muitas relações com a semana da moda em todo o mundo, ficou surpreendida com este apoio internacional?
Iryna Danylevska:
Surpreendida, satisfeita e inspirada. O que está a acontecer com a iniciativa 'Support Ukrainian Fashion' é um caso especial para a indústria da moda mundial. Nove semanas de moda como Berlim, Madrid, Copenhaga, Bruxelas, Budapeste, Viena... acolheram estilistas ucranianos como parte da iniciativa 'Support Ukrainian Fashion' da Ukrainian Fashion Week. Graças a este apoio, quase 40 marcas ucranianas não perderam a temporada da primavera-verão 2023. Foi a estação mais difícil e trágica da história da Ukrainian Fashion Week. No entanto, a sua 51.ª temporada teve lugar. Nesta época trágica para a Ucrânia e difícil para o mundo inteiro, a moda demonstra não só diversidade, inclusão, sustentabilidade e liberdade. A moda declara o seu compromisso com os valores humanistas e democráticos. A moda demonstra solidariedade.
 
FNW: Como era organizada a UFW antes da guerra?
ID:
A Ukrainian Fashion Week foi fundada em 1997. Representamos a primeira semana da moda na Europa Central. Sempre nos orgulhámos muito do facto de, independentemente de quaisquer circunstâncias políticas ou financeiras e cataclismos, a Ukrainian Fashion Week não ter falhado uma única estação em 25 anos. Para 2022, estávamos a preparar muitos grandes projetos para o seu 25.º aniversário. Anunciámo-los durante a sua 50.ª temporada, no início de fevereiro. Contudo, algumas semanas mais tarde, no dia 24 de fevereiro, a Rússia iniciou uma guerra em larga escala na Ucrânia que mudou a vida de todos os ucranianos.

FNW: As semanas de moda de Paris, Londres, Milão e Nova Iorque não se juntaram a si na iniciativa 'Support Ukrainian Fashion'. Como explica isto? 
ID:
Em primeiro lugar, é necessário mencionar que "não se juntaram" à iniciativa Support Ukrainian Fashion. Embora em Paris, Milão e Nova Iorque se tenham realizado eventos com a participação de estilistas ucranianos. Por exemplo, uma Vogue UA Ukrainian Designers Showcase teve lugar em Paris durante a Paris Fashion Week. Designers, residentes da Ukrainian Fashion Week e "nascidos" na sua passerelle, participaram nesta apresentação. Em segundo lugar, as 'Big Four' (semanas da moda) são uma grande burocracia. E por último, mas não menos importante – a moda é uma plataforma muito convincente para milhões, onde se pode e deve falar sobre as questões mais importantes. Portanto, em terceiro lugar, e na verdade, em primeiro lugar, a "Ucrânia" soou em todas as passerelles do mundo nesta estação. E isto é o mais importante!


Look da coleção da Vorozhbyt & Zemskova - DR


FNW: Quais foram as condições oferecidas pelas várias semanas de moda aos estilistas ucranianos?
ID:
Algumas semanas de moda ofereceram uma taxa de participação reduzida, outras ofereceram uma participação gratuita aos estilistas da Ukrainian Fashion Week e algumas assumiram todas as despesas de organização do desfile e pagaram o voo e alojamento do estilista na sua cidade. Cada semana de moda oferecia o que podia. Tanto a UFW como os estilistas trataram cada proposta com compreensão e gratidão. A responsabilidade da nossa equipa era sugerir designers para cada semana de moda cuja participação seria a mais eficaz tanto para um determinado designer como para uma semana de moda em particular. E também, que as condições de participação, incluindo as financeiras, eram adequadas para um determinado estilista ou grupo de estilistas
 
FNW: Algumas das organizações da semana da moda estão desligadas da situação na Ucrânia?
ID:
Eu posso responder não profissionalmente, mas sim emocionalmente. Sim, elas estão desligadas. E têm o direito de não compreender plenamente o que está a acontecer na Ucrânia. Mesmo nós, como ucranianos, por vezes não conseguimos compreender totalmente o que está a acontecer. Ainda não podemos acreditar, ou melhor, aceitar, que um país europeu independente tenha sido atacado por um país vizinho. Que as nossas cidades são destruídas por ataques de mísseis. Que em 2022, o exército russo mata, viola, e mutila os civis. Que os soldados ucranianos capturados estão a ser submetidos à fome e à tortura. Que os mísseis russos voam e levam pelos ares museus, escolas, jardins de infância e edifícios residenciais. Nós, ucranianos, estamos a enlouquecer com uma tal realidade. Dor, tristeza, raiva, sofrimento – é isso que sentimos. Por vezes, o cérebro recusa-se a acreditar que isto pode acontecer no mundo civilizado. Por que razão deve ser surpreendente que alguém na Europa não consiga compreender completamente todo o horror que está a acontecer na Ucrânia.
 
FNW: Como conseguiu unir os estilistas de moda ucranianos em torno destes diferentes acontecimentos em tempos de guerra? 
ID:
Sabíamos muito claramente o que e como precisávamos de fazer quando criámos a iniciativa 'Support Ukrainian Fashion'. Sim, não foi fácil. Durante cinco meses de preparação, escrevemos várias centenas de e-mails, realizámos dezenas de reuniões online. Conhecíamos todas as condições de participação em cada semana de moda até ao mais pequeno pormenor. Compreendemos claramente qual o formato adequado à marca e qual o mercado do país que será interessante para esta. Além disso, desde os primeiros dias da guerra, mantivemo-nos em contacto com os estilistas. Sabíamos quem estava a conceber novas grandes coleções para a época, e quem estava a preparar cápsulas. Sabíamos quem estava fora da Ucrânia e quem estava no país. O Ministério da Cultura e Política de Informação da Ucrânia ajudou-nos com as autorizações para os designers masculinos viajarem para o estrangeiro. Desde o início da guerra, para os homens viajarem para fora da Ucrânia, é necessário obter autorização do Serviço de Fronteiras do país, as mulheres podem viajar com a própria discrição. Por conseguinte, tudo foi claro e organizado. Ainda nervosa, é claro, mas organizada. No entanto, a sensação de ter realizado nove semanas de moda ucraniana, e não uma, por vezes surgiu.


Starchak, uma das marcas ucranianas emergentes - DR


FNW: Fale-nos sobre a situação dos designers ucranianos? 
ID:
A guerra mudou a vida de cada um de nós. Os desenhadores ucranianos começaram a utilizar as suas capacidades de costura para apoiar o exército ucraniano. Alguém doou dinheiro para os feridos ou para as necessidades dos refugiados, alguém se voluntariou, alguém ajudou idosos solitários, alguém alimentou cães sem abrigo...Vorozhbyt & Zemskova coseram capas para coletes à prova de bala em máquinas de costura que só tinham "visto" vestidos de seda antes da guerra. Andre Tan cosia roupa e roupa interior para os militares nas suas fábricas. Jovens desenhadores Sidletskiy, casacos e chapéus cosidos Starchak. Kachorovska, Marsala, em vez de sapatos de salto alto femininos, produziu sapatos militares. A marca Сoat criou ténis com a bandeira nacional juntamente com os italianos, e todas as receitas deste projeto foram doadas ao exército. E há dezenas de tais exemplos. O fenómeno da moda ucraniana é que, apesar de todas estas circunstâncias cruéis, a maioria dos estilistas continuou a criar. É por isso que consideramos ser o dever da Ukrainian Fashion Week apoiar as marcas ucranianas e fazer tudo para dar a conhecer ao mundo as suas coleções para a primavera-verão 2023.
 
FNW: Algum estilista ucraniano deixou o país?
ID:
Hoje em dia, muitas marcas continuam a trabalhar em Kiev. Alguém deslocou o seu negócio e mudou-se para a parte ocidental da Ucrânia para Lviv, Chernivtsi ou Ivano-Frankivsk. Há marcas que se mudaram para o estrangeiro ou parte da equipa, como mães com filhos, vivem e trabalham temporariamente no estrangeiro, e parte da equipa na Ucrânia. A maioria das marcas mantém a sua produção na Ucrânia, o que também permite pagar o trabalho da equipa ucraniana da marca e pagar impostos ao Estado. Independentemente de estar na Ucrânia ou temporariamente no estrangeiro, ou ajuda ou fica longe. Parece-me que não há pessoas indiferentes entre a comunidade da moda ucraniana.
 
FNW: Quantos estilistas estão hoje reunidos sob a bandeira da Ukrainian Fashion Week?
ID:
Durante os 25 anos da existência da Ukrainian Fashion Week, apresentámos mais de 300 estilistas. Penso que podemos falar de 60-70 marcas que participam na UFW ou nos nossos outros projetos. Os estilistas ucranianos são muito diferentes. Alguns criam mais coisas conceptuais, outros centram-se nas novas tecnologias e na moda sustentável. Litkovska, Bevza, Frolov, Ruslan Baginskiy, Vita Kin, Gasanova, Gunia Project... e muitas outras marcas ucranianas mundialmente famosas criam roupas de moda moderna usando técnicas folclóricas ou design. Tornou-se uma marca da moda ucraniana. Para dar uma descrição geral, os estilistas ucranianos criam roupas de qualidade muito alta em termos de design e produção. E, na minha opinião, muito emocional.


Litkovska, uma marca ucraniana que participou na última edição da Paris Fashion Week - DR

 
FNW: Quais são os planos para a Semana da Moda Ucraniana para a próxima estação? 
ID:
Tradicionalmente, as temporadas da Ukrainian Fashion Week têm lugar no início de fevereiro e início de setembro. Antes da New York Fashion Week. É difícil para mim prever agora como irão desenrolar-se as hostilidades. Seremos capazes de realizar em segurança a UFW em fevereiro em Kiev, ou não? Acreditamos em vencer a guerra! Mas não sabemos quando é que isso vai acontecer. Por conseguinte, estamos a pensar nos formatos da Ukrainian Fashion Week em Kyiv e estamos também a começar a negociar com os nossos colegas no estrangeiro.
 
FNW: Onde é que os clientes podem comprar marcas de moda ucranianas?
ID:
As marcas de moda ucranianas são apresentadas em plataformas globais online: na luso-britânica Farfetch (Anna October, Bevza, Ienki Ienki, Litkovska, Ruslan Baginskiy, Sleeper, Vita Kin); na britânica Net-a-Porter ou na italiana Luisaviaroma e na franco-ucraniana Angelforfashion.com de apoio o design de moda ucraniano; em lugares bem conhecidos, onde podem ser compradas offline, por exemplo na Rinascente em Itália, na Selfridges na Grã-Bretanha ou na Globus na Suíça, etc.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.