J. Crew estará a preparar IPO para a Madewell

O J. Crew Group Inc terá contratado bancos de investimento para preparar para uma oferta pública inicial da Madewell, uma vez que a empresa americana estará à procura de melhorar as suas finanças, informaram três fontes familiarizadas com o assunto.


Instagram: @jcrew

A J. Crew passou a pertencer às empresas de private equity TPG e Leonard Green & Partners LP em 2011, após uma aquisição avaliada em 3 mil milhões de dólares. As empresas de private equity recusaram-se a fazer comentários. Em abril deste ano, a J. Crew disse que estava a explorar alternativas para reduzir a dívida e restaurar a rentabilidade e nomeou Michael J. Nicholson como CEO interino.

A empresa recrutou consultores de reestruturação na Weil, Gotshal & Manges LLP, um escritório de advocacia que ajudou a negociar uma reconciliação da dívida anterior e aconselhou a Sears Holdings Corp no processo de falência, conforme informou a Reuters em março.

A Madewell tem experimentado um rápido crescimento e representa cerca de 20% da receita total da J. Crew, de acordo com registos oficiais. Em fevereiro, a Gap Inc. anunciou planos para tornar a sua lucrativa marca Old Navy numa empresa independente e de capital aberto.

O IPO da Madewell entrará para uma série de listagens entre as principais marcas de jeans este ano, incluindo Levi Strauss & Co., que está a passar por um renascimento após anos em que o athleisure dominou o segmento de roupas casuais. Inúmeros retalhistas de vestuário dos Estados Unidos criaram divisões para relançar as suas operações nos últimos meses.

Há três meses, a J. Crew já havia anunciado que iria explorar um IPO para a Madewell. A empresa, com sede em Nova Iorque, está a tentar reforçar as suas finanças desequilibradas, afetadas pela concorrência de empresas de comércio eletrónico como a Amazon, bem como de outros retalhistas.

A J. Crew teria contratado os bancos Bank of America, Goldman Sachs, JPMorgan e Morgan Stanley como os principais assinantes do IPO da Madewell, que deve ser realizado após o feriado do Dia do Trabalhador americano, em setembro, disseram as fontes. 

O retalhista tem uma dívida de aproximadamente 1,7 mil milhões de dólares. A empresa espera que a Madewell, conhecida pelas suas roupas em ganga, obtenha uma avaliação de mercado que exceda esse valor, acrescentaram as fontes. A J. Crew não venderá imediatamente toda a sua participação na Madewell, de acordo com uma das fontes.

As fontes falaram sob condição de anonimato pois os detalhes das preparações do IPO são confidenciais. Os representantes da J. Crew, Bank of America, Goldman Sachs, JP Morgan e Morgan Stanley ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER