×
Por
AFP
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de nov. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Kanye West diz ter perdido 2 mil milhões de dólares após os seus comentários antissemitas

Por
AFP
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
2 de nov. de 2022

Kanye West disse, na quinta-feira (27 de outubro), que perdeu 2 mil milhões de dólares num dia, um contratempo que aconteceu após uma cascata de empresas – como a Adidas, Gap – cortar laços após a série de comentários antissemitas do artista americano.


Kanye West diz ter perdido 2 mil milhões de dólares após os seus comentários antissemitas - DR


"Perdi dois mil milhões de dólares num só dia e ainda estou vivo", escreveu Kanye West na sua conta de Instagram. "Eu ainda te amo, Deus ainda te amo, não é o dinheiro que me define, é o povo", acrescentou o rapper, num post "apreciado" por quase 1,5 milhões de pessoas.

O rapper norte-americano, que também é conhecido por Ye, viu grandes marcas romperem os seus lucrativos contratos com ele nos últimos dias para mostrar a sua desaprovação aos seus comentários antissemitas que proferiu e não recuou. Após meses de deterioração das relações, a Adidas anunciou na terça-feira (1 de novembro) que "terminaria imediatamente" a sua parceria com Ye, um dos nomes mais bem sucedidos do mundo da moda.

"A Adidas não tolera antissemitismo ou qualquer outra forma de discurso de ódio", disse o fabricante alemão num comunicado de imprensa. Algumas horas mais tarde, a cadeia americana de pronto-a-vestir Gap anunciou uma decisão semelhante, uma semana após a maison de moda Balenciaga ter anunciado a sua rutura com Ye.

A mensagem publicada por Kanye West no Instagram na passada quinta-feira parece ser dirigida a Ari Emanuel, dono de uma agência californiana de show-business que apelou a todas as empresas que trabalham com West para cortarem os seus laços.

Kanye West, que diz sofrer de desordem bipolar, foi suspenso do Twitter depois de ter 'twittado' que ia atacar judeus num post que desde então foi apagado pela rede social por violar as suas regras. Foi também temporariamente suspenso do Instagram.

O rapper apareceu no início de outubro com uma T-shirt com o slogan escrito "White Lives Matter" num desfile de moda em Paris. O slogan, utilizado pela extrema-direita norte-americana, sequestra o nome do movimento "Black Lives Matter", que faz campanha contra o racismo contra os afro-americanos.

Ye foi escoltado de um escritório da marca de sneakers Skechers na quarta-feira (2), disse a empresa.


Por Huw GRIFFITH / AFP
 

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.