Kering vai transferir a maioria das suas atividades logísticas localizadas na Suíça para Itália

O grupo de luxo Kering vai transferir a maioria das suas atividades de logística atualmente localizadas na Suíça para Itália. A Suíça era considerada o "hub" mundial do grupo, mas foi o foco de um processo de evasão fiscal por parte das autoridades italianas.

Gucci, outono - inverno 19/20

Após o processo de evasão fiscal relacionado com a sua marca Gucci, o grupo de François-Henri Pinault anunciou há alguns dias que iria solucionar o pagamento de 1,25 mil milhões de euros às autoridades italianas. A investigação concentrou-se na atividade da sua subsidiária de logística suíça Luxury Goods International (LGI).

Segundo um comunicado enviado na quinta-feira (23) à AFP, o grupo anunciou diante dos representantes de cerca de 800 funcionários da região de Ticino na quarta-feira que "a maioria das atividades de logística realizadas na Suíça serão reagrupadas num novo hub logístico em Itália", próximo de Novara, no norte do país.

O projeto será implementado progressivamente até 2022 e o número de funcionários na Suíça será reduzido para metade. "Dada a sua qualidade, a Kering continuará a capitalizar os ativos e expertise que desenvolveu no Ticino, embora reduza substancialmente os seus negócios", informou a Kering.

O grupo disse que "vai trabalhar desde já para encontrar soluções para os funcionários envolvidos nestas mudanças" e "mitigar as consequências deste projeto”. A atual estrutura logística na Suíça que é distribuída em 20 armazéns e administra quase todo o stock e entregas do grupo, "estava saturada e, portanto, cada vez menos eficiente", explicou a Kering.

A nova plataforma em Itália "será dimensionada para o crescimento futuro do grupo", e "terá uma capacidade de armazenamento maior, refletindo maiores volumes. Também responde à crescente demanda por interconectividade com as principais plataformas de transporte", resumiu a empresa.

O grupo de luxo, que é proprietário de grandes marcas como Gucci, Yves Saint Laurent, Balenciaga e Bottega Veneta, ressaltou que "as expectativas dos clientes estão a mudar, e é necessário fazer entregas mais rápidas e oferecer uma experiência perfeita em todos os canais de distribuição”.

A plataforma logística suíça foi criada na década de 90 para a marca florentina Gucci, que foi comprada em 1999 pela Kering, antiga Pinault Printemps Redoute. No final de 2017, a justiça italiana começou a investigar a Gucci, devido a suspeitas de que a marca e a sua proprietária teriam declarado na Suíça e faturado em nome da LGI atividades realizadas em Itália para aliviar os seus impostos em Itália.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

LuxoNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER