×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de jun. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Lancel de regresso à rentabilidade

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de jun. de 2022

Há quatro anos, a Lancel foi adquirida pelo grupo italiano Piquadro, especializado em artigos de couro, e voltou à rentabilidade no ano fiscal de 2021/2022, encerrado no dia 31 de março.


Tote bag daLancel - DR


A marca de artigos de couro com sede em Paris registou um lucro líquido de 400.000 euros no período, comparado a um prejuízo líquido de 2,2 milhões de euros no ano anterior. Este prejuízo, no entanto, atingiu 7,8 milhões de euros e 12,8 milhões de euros em 2020 e 2019, respetivamente.

Com 60 milhões de euros em vendas no ano fiscal de 2021/2022, um aumento de 26,3% em relação ao ano anterior, a Lancel responde atualmente por 40% das vendas da Piquadro. A controladora, que também detém as marcas de artigos de couro Piquadro e The Bridge, registou vendas de 149,4 milhões de euros no ano fiscal de 2021/2022, um aumento de 31,7%. No período, o seu EBITDA atingiu 25,3 milhões de euros, ante 10,5 milhões um ano antes.

O grupo italiano gerou 46,4% das suas vendas em Itália, 50% na Europa e pouco menos de 3,6% das suas vendas no mercado externo.

Depois de reposicionar a Lancel durante quase quatro anos, a Piquadro procura agora intensificar os negócios de exportação da marca parisiense. Além dos seus retalhistas, a Lancel possui 78 boutiques, das quais cerca de 60 estão localizadas em França. A marca está particularmente a procurar expandir-se na China, onde se estabeleceu em 2019 via Tmall e desde então abriu uma shop-in-shop na Galeries Lafayette de Pequim.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.