×

Levi's ajusta financiamento para apoiar trabalhadores do vestuário

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
8 de jul de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A Levi Strauss & Co. anunciou planos de dar mais apoio aos seus trabalhadores do vestuário, durante a pandemia de COVID-19.

Uma autoproclamada "empresa orgulhosamente progressista", a centenária Levi Strauss, tem um historial de movimentos empresariais éticos, incluindo planos previamente anunciados para resolver a sua falta de diversidade empresarial: Uma doação de $1 milhão de dólares (cerca de 1 milhão de euros), para uma série de organizações sem fins lucrativos que ajudam as comunidades visadas pela administração Trump; e o lançamento de um leque de iniciativas ambientais.


ALevi's apoia comunidades com doações eadere a iniciativas ambientais - DR


No que respeita à relação da empresa com os seus fornecedores, a Levi's trabalhou para prestar apoio através de uma parceria contínua com a Corporação Financeira Internacional (IFC), criando um programa que dá aos fornecedores acesso a pagamentos antecipados. Contudo, apesar dos trabalhos anteriores, a marca Levi's ainda apareceu recentemente numa lista de marcas que maltrataram os trabalhadores do vestuário durante a pandemia de COVID-19.

A lista, afixada pelo Worker Rights Consortium (WRC), afirmava que a Levi's foi listada "entre as marcas que não se comprometeram suficientemente a pagar as encomendas, a tempo e na totalidade".

Após a publicação da lista, a Levi's divulgou uma declaração, sexta-feira (2 de julho), detalhando os seus planos para ajustar o financiamento em benefício dos trabalhadores do vestuário. 

"Estamos a assumir total responsabilidade - e a pagar na íntegra - por todas as encomendas acabadas, prontas a enviar e encomendas em curso", diz a declaração.

"Planeamos também utilizar matérias-primas já recebidas pelos fornecedores para encomendas de produtos em épocas posteriores. Embora tenhamos alargado os termos de pagamento, acreditamos que os nossos termos atuais são consistentes com a prática da indústria, e não solicitámos quaisquer descontos nos pagamentos. Os nossos líderes de fornecimento mantêm-se em estreita conversação com os fornecedores e estamos a ter em conta as suas circunstâncias nas nossas decisões".


Levi Strauss


A empresa acrescentou, ainda, que planeou expandir o acesso do seu programa, com a International Finance Corporation (IFC), a mais fornecedores. A 6 de Junho, o WRC editou a sua lista, confirmando que a Levi's tinha dado a todos os fornecedores acesso a financiamento de baixo custo, garantido pela marca, para os ajudar a ultrapassar os atrasos de pagamento, acrescentando que "a Levi's está a proporcionar este acesso através de uma expansão do seu programa de empréstimos da IFC e da criação de uma nova facilidade de empréstimos concebida para acomodar fornecedores inelegíveis para o programa da IFC".

O anúncio surge com iniciativas como a campanha #PayUp da Remake #PayUp da moda ética e sem fins lucrativos, apelando a várias grandes marcas, incluindo a marca dupla da Kendall e Kylie Jenner, por não pagarem aos seus trabalhadores do vestuário durante a pandemia, como slide de vendas. Noutras empresas que têm sido acusadas de evitar pagamentos, incluem-se a American Eagle Outfitters, Gap e J.C. Penney, entre várias outras.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.