×

Loewe: Show in Box pensa muito fora da caixa

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
13 de jul de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Agora é assim que uma marca deve usar o digital com grande efeito na moda. Após uma semana de resmungos de praticamente toda a gente na indústria da moda, sobre a previsibilidade da estação online para alta costura e roupa masculina, surge a Loewe para rasgar as regras da Internet e criar um evento web de 24 horas.

Descrito como Show-in-a-box (Show numa caixa), o diretor criativo da marca espanhola Jonathan Anderson entregou uma série substancial de ficheiros elaborados numa caixa chique aos editores e VIPs pré-show para definir a agenda.
 

Show-in-a-Box" da Loewe - Foto: Loewe


Tudo revelado ao longo de 24 horas através de filme, videoclips, interlúdios musicais, apresentações de piano e harpa, tutoriais de tecelagem de cestos, entrevistas a celebridades, e até pequeno-almoço, almoço (com cinco artistas têxteis) e jantar, tudo sob a rubrica, #loewess21. De hora a hora, durante 24 horas.
 
Abriu com The Front Row (A fila da frente), retratos em movimento de Aidan Zamiri, um grupo de crianças fixes, vestindo a coleção atual de roupa masculina para a primavera-verão 2001 em todo o lado. Desde montar o que parecia uma Vespa em Ibiza, ou visitar o Palais de Tokyo, até fazer snorkeling no azul profundo, ou passear por um parque de bambu com uma bola de basquetebol na mão. Casacos de ganga recortados, fatos de algodão rosa dandy e camisas tartan com assinatura de Anderson, todos com óptimo aspecto.

O conceito em geral era até encantador no seu mais desinteressante auto-indulgente. Como uma descrição deambulatória da banda sonora de Adam Bainbridge de pé num jardim, que depois vagueia por baixo de uma árvore. Isto seguiu-se a uma performance do compositor coreano Park Jiha, sobre uma espécie de vibração asiática e um instrumento de sopro multitubo saenghwang. Doleful em vez de dulcet in lockdown.

Depois, tivemos a arte ou shibori, ou tingimento de algodão japonês, explicada por um mestre praticante Kayo Ando, que divulgou em japonês, o que na realidade começou na Índia há 1,300 anos.


Uma peça Loewe tingida com shibori - Foto: Loewe


Até a uma aula de Engenharia do Papel por Shina Tanaka. Estruturas Pop Art em miniatura que cortou na sua forma final com extrema destreza. Nomeadamente, uma série de ananases, que mais uma vez referia uma das novas criações da Loewe: Uma bolsa de ananás em pele tecida, em amarelo e verde, "classicismo com humor". 
 
Conversas também, em espanhol sem legendas, com a artista de tecelagem Idoia Cuesta, cujas ideias foram incorporadas numa nova e brilhante criação em pele rígida; um corpete de lagosta com carne de lavagante, com um corpete medieval.
 
Tudo isto mesmo antes do pequeno-almoço, quando Jonathan conheceu o ator Josh O'Connor, mais conhecido por The Durrels e interpretando o Príncipe Carlos em The Crown.
 
"Faço espectáculos há 10 anos e achei muito mais terapêutico fazê-lo numa caixa", admitiu Anderson, que pediu aos diretores de arte franceses M&M para criarem o dossier portátil.

Finalmente, chegámos à introdução da coleção propriamente dita pelo designer ao meio-dia. Nas palavras de Anderson tratava-se de trabalhar esculpidamente, durante o encerramento, quando queria que todos trabalhassem com as mãos, no seu caso até mesmo cozer pão.

Loewe SS 2021 Men's Collection Loewe


"As principais silhuetas desta estação têm sido sobre volume", disse, mostrando um impressionante casaco de trincheira balão encolhido por uma forma gigantesca de vagem; ou um suave casaco de um grande cavalheiro de crua frente por um enorme círculo negro. Até à bravura de um casaco de agulha inspirado em Paul Cadmus, cuja pintura tinha sido traduzida numa tapeçaria.
 
Muitas das ideias foram também apresentadas na caixa de arquivos Loewe, onde revisores e amigos podiam trabalhar com as suas mãos, construindo mini cópias destes visuais em recortes de papel rígido.
 
Um take diferente da abordagem que utilizou na sua própria marca, JW Anderson, onde 10 dias antes, enviou também um dossier de ideias (desde esboços a flores secas), antes de falar com os fãs através da coleção numa apresentação na web.
 
Numa palavra, um designer a operar 360 graus a vários níveis, envolvendo o seu público na colecção, tanto quanto possível, a meio de uma pandemia. E, fazendo-o nos seus próprios termos.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.