×
Por
Jornal T
Publicado em
4 de set. de 2018
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Lojas de moda obrigadas a esforço de reinvenção

Por
Jornal T
Publicado em
4 de set. de 2018

O negócio da moda atravessa um ponto de viragem que obriga as grandes cadeias a reinventarem as lojas físicas para fazerem face aos sinais de alarme dados pelas quebras nas vendas –  conclui uma reportagem do El País.


Os especialistas e empresários ouvidos pelo diário madrileno concordam no diagnóstico: o modelo tradicional está esgotado, os espaços físicos das lojas deixaram de ser atrativos e os consumidores começam a visitá-las menos – e menos visitas, menos compras, menos vendas.

Todos os estudos vão no mesmo sentido: as vendas e a rentabilidade por metro quadrado estão a cair na Europa e nos EUA – contrariamente ao que tem acontecido na Ásia. Por este motivo, alguns grupos empresariais decidiram reduzir o número de lojas físicas.

Os especialistas atribuem a desaceleração das vendas a um esgotamento do modelo ‘fast fashion’ conjugado com a expansão do online. “As vendas pela Internet são especialmente importantes para cadeias como a Inditex, onde cresceram 41% no ano passado e agora correspondem a 10% da faturação total”, refere o El País.

As compras online se tornaram-se tão inovadoras que agora são mais confortáveis e agradáveis do que as lojas de rua –  dizem os especialistas.

As empresas começaram, por isso, a perceber a necessidade de transformarem as suas lojas, utilizando tecnologias de última geração, como big data, realidade virtual, realidade aumentada ou pagamento móvel para melhorar a experiência do cliente em loja.

O que as lojas estão agora a fazer é a criar experiências para o consumidor, para responder às suas necessidades. “Os consumidores não só querem comer ou comprar coisas, querem viver experiências, o que requer uma transformação dos espaços atuais”, explicou um dos especialistas ouvidos pelo El Pais, acrescentando que os centros comerciais estão a tornar as experiências num íman para turistas nacionais e internacionais, “com espaços gastronómicos e espaços de reuniões com conceitos inovadores”.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.