×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de nov. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Lola Casademunt sonha grande e traça um plano estratégico para triplicar as suas vendas em três anos

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de nov. de 2022

Maite Gassó, filha de Lola Casademunt e diretora criativa da empresa que a sua mãe fundou em 1981, inicialmente dedicada ao sector da joalharia de moda, é definida pelo seu carácter sonhador. Hoje, a mulher de negócios pilota a empresa juntamente com Fernando Espona, que atua como presidente, e Paco Sánchez, diretor geral desde fevereiro de 2020. O gabinete de Sánchez é presidido por um sinal de néon que é uma declaração de intenções: "Vamos fazer com que as coisas aconteçam". Com este mantra, a empresa com sede em Cardedeu (Barcelona) triplicou as suas vendas nos últimos dois anos e planeia repetir a proeza nos próximos três.


Fernando Espona, Maite Gassó e Paco Sánchez, na sede da Lola Casademunt - Lola Casademunt


"Encerramos 2020 com um volume de negócios de 8,6 milhões de euros e vamos terminar 2022 com um volume de negócios de 27 milhões de euros, mais 2 milhões do que as previsões iniciais. Em janeiro de 2023 iniciaremos um novo plano estratégico que terminará em dezembro de 2025 e, até lá, a ideia é triplicar novamente o volume de negócios", explica Paco Sánchez à FashionNetwork.com.

"Pensar a longo prazo e agir a curto prazo" é outro dos pilares da filosofia empresarial da Lola Casademunt, que fixa o seu primeiro objetivo em 45 milhões de euros de volume de negócios até 2023.

"Não sabemos quais serão as circunstâncias externas, mas sabemos que esta figura será uma realidade. O nosso plano de negócios, que está muito bem definido, permite-nos ter estes objetivos", sublinha o gestor.

Uma das pedras angulares da estratégia de desenvolvimento da marca é a sua expansão internacional. A empresa começou a operar no mercado estrangeiro em 2021, mas já opera em 14 países e em mais de 1.300 pontos de venda multimarcas. Embora a sua presença seja, de momento, mais forte na Europa, a América Latina tem um objetivo elevado: há alguns meses, a empresa fechou o seu primeiro acordo com El Palacio de Hierro para abrir quatro espaços este ano.

"Vamos fechar um novo acordo, um projeto de cinco anos para ganhar capilaridade no México: também queremos estar em Liverpool e em lojas de rua", explica Sánchez. A Colômbia, Panamá e Chile são os próximos mercados na região em que a Lola Casademunt procurará expandir-se, sempre de mãos dadas com os parceiros locais.

Do outro lado do mundo, no Médio Oriente, a empresa está a trabalhar para fechar um negócio com um franchisado na Arábia Saudita e o Dubai também está no seu radar. E quanto à Europa? A empresa abrirá as suas primeiras lojas em Portugal e Andorra em fevereiro de 2023 e está a olhar para o mercado italiano.

"Em multimarcas também temos muito a fazer: por exemplo, ainda não estamos presentes na Alemanha, Polónia ou Grécia", diz o diretor geral.

A Lola Casademunt também tem no horizonte o sonho americano, com Miami como porta de entrada para o país. "Não temos pressa em chegar aos Estados Unidos, mas procuraremos instalações para abrir uma loja em Miami entre o final de 2024 e o início de 2025. E, sonhando com passerelles internacionais, aquela nesta cidade seria uma grande opção", diz Sánchez.

A marca já desfila na 080 Barcelona Fashion e MBFWMadrid, embora tenha no horizonte dar o salto para eventos internacionais como as já mencionadas passerelles de Miami e Milão.

Mais produção em proximidade e novas oficinas



O objetivo da Lola Casademunt é que toda a sua produção tenha o rótulo sustentável até 2025. Este ano, o número será de 40%. Parte desta sustentabilidade deve-se à produção local, que a empresa tem vindo a promover nos últimos anos.

"Já fabricamos 30% dos nossos artigos em Espanha, Portugal e Marrocos", diz Sánchez, que também vê nesta abordagem à produção um compromisso de "reanimar oficinas e reconstruir a indústria têxtil catalã e espanhola".

O compromisso da empresa com os produtos locais reflete-se também na sua sede, que permanece em Cardedeu, a cidade onde foi fundada há 41 anos. Com uma superfície de 3.200 metros quadrados, foi recentemente remodelada: tem três andares e, para além de escritórios, incorpora uma loja piloto e um showroom para compradores internacionais.

A empresa planeia acompanhar o seu crescimento com uma ampliação das suas instalações na segunda metade de 2024: um novo edifício será erguido ao lado do atual, que funcionará como um centro criativo.

Com uma equipa de 170 pessoas, a Lola Casademunt opera 15 das suas próprias lojas, quatro franquias, 27 corners no El Corte Inglés e quatro no El Palacio de Hierro. A rede comercial é completada com 1.300 pontos de venda multimarcas no mercado internacional e 800 no mercado nacional. E, antes do final do ano, a lista crescerá com quatro novas lojas e mais três espaços no El Corte Inglés.

"Mas a nossa expansão não tem a ver com não ter limites ou números grandiosos. Expandimos e consolidamos e somos autofinanciados. A expansão requer muito dinheiro, por isso desenvolvemos com o capital que temos no bolso, não nos endividamos para o fazer ou procuramos um fundo", conclui Sánchez, que veio à empresa com o objetivo de "fazer as coisas acontecerem" às portas da pandemia e depois de mais de três décadas na Pronovias.

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.