×
309
Fashion Jobs
ADIDAS
Senior Technology Consultant - Product & Supply Chain (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Tech Analyst - Digital & Omnichannel/ Manage Business (M/F/D)
Efetivo ·
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c. Comercial Braga Parque
Efetivo · Braga
ADIDAS
Service Manager - Sales Services (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Technology Consultant - Manage Business (Sap Fico/ Sap Hcm) (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Technology Consultant - Omnichannel (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Buyer - German/Italian/French/Spanish (M/F/D)
Efetivo ·
IRO
Manager Lisboa
Efetivo · LISBOA
ADIDAS
Senior Specialist Payroll (M/F/D) - HR Services
Efetivo ·
ADIDAS
Sap Consultant - bw4hana/Sac (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Senior Sap Solution Architect - Ariba (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Assistant Product Owner (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Product Owner (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
sr Sap Consultant - bw4hana/Sac (M/F/D)
Efetivo ·
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant- c. Comercial Ubbo Alfragide
Efetivo · Lisboa
NEW BALANCE
Asistente de Gerente de Loja - Freeport
Efetivo · Alcochete
SALSA
Trade Marketing Specialist – Suporte Aos Canais Wholesale & Dept.Stores
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
SPORTSDIRECT EU
Assistente de Venda a Tempo Parcial – Sports Direct - Sintra - Portugal
Efetivo · AGUALVA-CACÉM
PURIFICACIÓN GARCÍA
Sales Assistant Puricacion Garcia
Efetivo · LISBOA
NIKE
Nike Coach (Department Manager)
Efetivo · Vila do Conde
ADIDAS
Senior Tech Project Manager - Sales Tech (M/F/D)
Efetivo ·
ADIDAS
Service Manager - Manage Business (M/F/D)
Efetivo ·
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de jun. de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Louboutin toma posição contra racismo com cápsula criada com Idris e Sabrina Elba

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de jun. de 2021

Na esteira do movimento Black Lives Matter, o mundo dos bens de luxo abordou a questão do racismo e da diversidade, alguns grupos através de doações a associações ou fornecendo a sua estrutura com gestores de diversidade, outros através de projectos específicos. Por convicção ou oportunismo, de acordo com as opiniões. Agora é a vez do designer de calçado Christian Louboutin avançar com a questão da justiça social numa coleção cápsula intitulada Walk a Mile in my Shoes (Caminha uma Milha nos meus Sapatos), em homenagem a Martin Luther King. Uma cápsula que está a criar polémica, desde quinta-feira (17 de junho), num post de Assa Traore com sapatos da marca Louboutin nos pés e de punho levantado. Explicações.


O casal Idris e Sabrina com Christian Louboutin - DR


Foi na sequência de um debate entre Opal Tometi – o ativista nigeriano americano e cofundador do movimento Black Lives Matter – e o casal de alto nível formado pelo ator britânico Idris Elba e pela esposa somali americana Sabrina Dhowre, que o criador franco-egípcio das famosas solas vermelhas – que recentemente teve uma exposição a retraçar o seu trabalho, no Museu Nacional de História da Imigração, em Paris – decidiu envolver-se com o casal.

Christian Louboutin, com fortes ligações a Portugal, também dispõe neste momento (e por tempo indeterminado) de uma instalação com quatro peças, incluindo uma mala inspirada no mundo português, que foi revelada na abertura do Núcleo Museológico de São Pedro, em Grândola (Setúbal).

Desta reunião nasceu o projecto que, através da fama das três personalidades, espera ter "um impacto real e melhorar diretamente a vida das pessoas e comunidades, cuja voz é importante mas raramente ouvida", disse a maison num comunicado.

Todos os lucros provenientes da comercialização da coleção reverterão para cinco organizações sem fins lucrativos. São estas: The Gathering For Justice, Be Rose Foundation, Purposeful, Somali Hope Foundation e The Immediate Theatre. "Organizações que estão a fazer a diferença no terreno e a melhorar a vida das pessoas e comunidades necessitadas, diariamente", acrescentou a marca. É também possível fazer uma doação, sem comprar os produtos, diretamente no website dedicado ao projecto, em walkamileinmyshoes.christianlouboutin.com, ou walkamileinmyshoes.christianlouboutin.pt;

A coleção para homens e mulheres – composta por sapatos (plataformas, sapatilhas, mocassins e sabrinas de renda), malas e outros acessórios em pele – baseia-se em dois motivos: Strelitzia, uma flor sul-africana mais conhecida como a Ave do Paraíso, e a famosa frase de Martin Luther King impressa ou bordada a vermelho, Walk a Mile in my Shoes.

Os preços rondam os 700 euros para ténis ou sandálias simples, subindo até 3.275 para sapatos de salto alto e plataformas rhinestone, enquanto os sacos variam entre 850 e 1.225 euros.

No entanto, através desta abordagem, Christian Louboutin está a expor-se ao risco de ser acusado de "lavagem da diversidade". De facto, o investimento feito para lançar esta campanha com fotos, vídeos, etc., beneficiará sobretudo a prática de luxo da maison, como muitas outras marcas durante um ano, sobre os temas da inclusão, diversidade e luta contra o racismo para se dar uma imagem ética.


A fotografia publicada por Assa Traoré, na origem da controvérsia - Instagram


Entretanto, Assa Traoré – ativista contra a violência policial e irmã de Adama Traoré, que morreu em 2016 após uma paragem policial em Beaumont-sur-Oise – anunciou nas redes sociais que participava na campanha Christian Louboutin, ajudando a turvar as águas em torno desta operação.

A ativista, que se proclamou várias vezes anticapitalista, transformando-se assim no padrão de uma maison de luxo, desencadeou a controvérsia na Web, enquanto num post do Instagram, "agradeceu calorosamente" ao designer de calçado e aos seus parceiros "pela honra que me está a dar ao associar-me à sua campanha pela igualdade e justiça para todos, que envolve a sua prestigiada marca Louboutin".

"A mensagem de igualdade e valores que difundem, encorajando-se mutuamente, através desta magnífica coleção, a empatia e a ação, são um sinal de que as nossas esperanças de ver triunfar a justiça social e cívica não são em vão na luta contra a violência policial, a discriminação", acrescentou Traoré num tom de elogio, que obviamente teve dificuldade em passar a alguns dos seus apoiantes.

Face à extensão da controvérsia, Christian Louboutin viu-se obrigado a clarificar o contexto desta colaboração. "Assa Traoré não é a musa da coleção", explicou a marca. "Sabendo que é sensível a estas questões, trata-se de uma das cerca de 200 pessoas em França e no estrangeiro que foram contactadas para transmitir a mensagem do projecto, se assim o desejarem".

Segundo a marca, nenhuma destas personalidades foi paga. Acabaram por receber apenas o programa de sensibilização, assim como uma T-shirt e um modelo da coleção. Entre estes colaboradores convidados contam-se ativistas, representantes da comunidade LGBT, mas também atores, como o americano Taraji P Henson, a britânica Cynthia Erivo e o inglês Damson Idris; artistas plásticos como a francesa Johanna Tordjman; futebolistas como o franco-gabonês Pierre-Emerick Aubameyang; o modelo albino afroamericano Shaun Ross; a política afroamericana Deesha Dyer, antiga secretária social da Casa Branca de Barack Obama.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.